29 C
Piçarras
quinta-feira 29 de fevereiro de 2024


PIB: Barra Velha é a quinta economia que mais cresceu em dezenove anos

Os dados comparativos revelam que a cidade de Barra Velha saltou de R$ 109,5 milhões (2002) para R$ 2,3 bilhões (2021) – uma taxa de crescimento na casa dos 2.066%;

Foto, Fernando Schroeder
Ouça a Matéria

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicou, no último dia 15, os números municipais atualizados do Produto Interno Bruto (PIB) alusivos ao ano de 2021. Eles revelam que neste novo século, Barra Velha possui – proporcionalmente – o quinto maior crescimento econômico do estado de Santa Catarina.

Os dados comparativos revelam que a cidade de Barra Velha saltou de R$ 109,5 milhões (2002) para R$ 2,3 bilhões (2021) – uma taxa de crescimento na casa dos 2.066%. Lideram essa relação Araquari (R$ 113,5 milhões para R$ 7,4 bilhões, 6.400%), Itapoá (R$ 69,3 milhões para R$ 1,6 bilhão, 2.300%), Itajaí (R$ 2,1 bilhões para R$ 47,7 bilhões, 2.100%) e Garuva (R$ 92 milhões para R$ 2 bilhões, 2.095%).

Na visão do atual gestor, duplicação da BR-101 alavancou crescimento – Foto, Fernando Schroeder

Na visão do atual prefeito, Douglas da Costa (PL), o panorama econômico de Barra Velha se modificou com a duplicação da Rodovia BR-101, que corta a cidade. A obra foi concluída nos anos 2000 e, segundo o gestor, estimulou grandes empresas a instalarem seus parques industriais no município. Com o passar dos anos, outros setores aportaram na cidade, enriquecendo os números do PIB.

“Na minha opinião, enquanto morador de Barra Velha – como eu sou uma pessoa que teve a oportunidade de nascer aqui, que trabalhei atrás de um balcão – eu vejo que a duplicação da BR-101 trouxe o desenvolvimento para cá. Veio a empresa Cebrace, que deu uma visibilidade também às margens da BR-101, já que é uma multinacional. A vinda da Havan e das redes de atacadista também estimularam muito nossa economia”, definiu Douglas.

“Ela se tornou uma cidade de oportunidades”

DOUGLAS DA COSTA (PL)

A cidade também vive o assédio da construção civil, resultando ainda no crescimento demográfico. Segundo o Censo 2022 do IBGE, Barra Velha somou o segundo maior crescimento proporcional do estado. Passou de 22.386 moradores (2010) para 45.633 barra-velhenses. Esse crescimento alcança a casa percentual dos 103,85%, fortalecendo os números mensais da crescente verticalização.

“Essa crescente da construção civil, com construtoras de médio e de grande porte, isso aí também está sendo uma alavanca muito importante para nós e para vencer essa demanda financeira que necessita o município. Outro ponto é a quantidade de pessoas que está vindo morar aqui e abrindo seus negócios em Barra Velha. Ela se tornou uma cidade de oportunidades. Então, isso aí a gente vê que ela vai acelerar”, opinou Douglas.

“A nossa expectativa, que nós estamos focados, é no Plano Diretor, na aprovação do Plano Diretor”

DOUGLAS DA COSTA (PL)

Para ele, a construção civil pode ser tornar a mola propulsora para uma nova onda de crescimento econômico barra-velhense. Nesse momento, a cidade trabalha na atualização do Plano Diretor – documento que norteia, entre outras questões, os patamares construtivos da cidade. Conforme apurou a reportagem, o documento tende a ser mais permissivo do que a legislação atual.

“A nossa expectativa, que nós estamos focados, é no Plano Diretor, na aprovação do Plano Diretor. Acreditamos que ali, mais tarde, entre fevereiro e março de 2024, ele vai para a votação e vai ser aprovado pela população e pela Câmara de Vereadores também”, concluiu. Douglas. O PIB 2021 traz Itajaí como a principal potência econômica do estado. Joinville (R$ 45 bilhões), Florianópolis (R$ 23,5 bilhões), Blumenau (R$ 20,5 bilhões) e São José (13,8 bilhões) vem na sequência.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você