24 C
Piçarras
sábado 13 de abril de 2024


Balanço 2023: BRDE consolida recordes em contratações e reforça compromisso com o desenvolvimento sustentável

Portrait of an attractive young woman carrying a crate full of vegetables outdoors on a farm
Ouça a Matéria

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) divulgou nesta segunda-feira, 25, os resultados do balanço financeiro referente ao ano de 2023. Segundo o relatório, o BRDE registrou um aumento de 32,1% no volume total de financiamentos concedidos em comparação com o ano anterior, totalizando um montante de R$ 5,8 bilhões em recursos direcionados para projetos estratégicos em diferentes setores da economia.

Esses financiamentos abrangeram desde investimentos em infraestrutura, indústria, projetos de sustentabilidade, agronegócio, inovação tecnológica e no atendimento a micro e pequenas empresas. O presidente do BRDE, João Paulo Kleinubing, destacou a importância desses resultados para o desenvolvimento regional.

“Estamos muito satisfeitos em anunciar um ano tão positivo para o BRDE. Nossos números refletem nosso compromisso contínuo em apoiar o crescimento econômico e social em nossa região”

JOÃO PAULO KLEINUBING

“Estamos muito satisfeitos em anunciar um ano tão positivo para o BRDE. Nossos números refletem nosso compromisso contínuo em apoiar o crescimento econômico e social em nossa região. Em meio aos desafios enfrentados, continuamos firmes em nossa missão de promover o desenvolvimento sustentável e a prosperidade para todos”, comemora.

O setor de comércio e serviços registrou o maior volume de contratações em 2023: R$ 1,8 bilhão, com uma variação de 65,3% em relação ao ano anterior. Em seguida, a agropecuária com R$ 1,6 bilhão em créditos contratados, 52,5% maior que em 2022. A indústria e a infraestrutura tiveram praticamente o mesmo nível de recursos, de aproximadamente R$ 1,2 bilhão.

As contratações de financiamento concedido pelo BRDE por porte seguem um padrão e, nesse ano, não foi diferente. O maior volume foi contratado por grandes empresas, R$ 2,8 bilhões, sendo a maioria dessas contratações relativas às cooperativas agroindustriais, correspondendo a 47,9% do financiamento para grandes empresas.

Para o vice-presidente e diretor de Operações, Ranolfo Vieira Júnior, tão importante quanto as marcas históricas em termos de novos investimentos e do resultado operacional é o fato do BRDE se consolidar como principal instrumento de apoio aos projetos estratégicos para a economia regional. “Somos o maior banco de fomento do Sul do país e temos uma missão muito clara: fazer do crédito mais do que uma operação financeira, mas sim uma alavanca de desenvolvimento, gerando oportunidades e com um legado de sustentabilidade”, frisou o vice-presidente.

Os financiamentos para micro e pequenas empresas totalizaram R$ 791 milhões, e para os produtores rurais R$ 839,8 milhões. As contratações de crédito com prefeituras aumentaram nos últimos dois anos, atingindo R$ 300,4 milhões em 2023, contemplando investimentos em iluminação pública, saneamento e melhorias de vias urbanas. Já pelo número de contratações em 2023, 75,5% foram para produtores rurais, na sua maioria agricultores familiares, e 20,3% correspondem aos contratos com micro e pequenas empresas, evidenciando o amplo acesso dos pequenos empreendedores ao crédito do BRDE.

O resultado reforça também a histórica parceria com o cooperativismo agropecuário, construída por meio de financiamentos de longo prazo concedidos pelo Banco para os projetos de expansão, verticalização e modernização destas empresas, o que tornou o BRDE uma referência no crédito para as cooperativas. Também no agronegócio estão contempladas as operações pelo Programa Nacional de Agricultura Familiar (PRONAF), o qual tem no BRDE um dos seus principais agentes financeiros. Em 2023, o BRDE financiou R$ 802,7 milhões para diversos investimentos proporcionados pelo Programa, beneficiando 4.622 produtores familiares.

O balanço destaca também os investimentos em energia, segmento estratégico ao BRDE, pela segurança energética e pelo menor impacto ao meio ambiente. Foram R$ 970 milhões para a geração de energia por fontes renováveis e eficiência energética nesse ano. Já o amplo apoio à inovação pode ser verificado pelos R$ 697,6 milhões em financiamentos contratados para projetos inovadores.

“Desde 2019, o BRDE alavancou sua eficiência em todo o Sul e se destaca nesse movimento, seguindo a diretriz dos seus respectivos Governos Estaduais, ao pulverizar e customizar o crédito, por meio da diversificação de fundos e das parcerias que estabelecemos nesse período”, analisou o diretor financeiro do banco, Wilson Bley Lipski. “Nos últimos quatro anos, passamos de R$ 2,4 bilhões milhões em contratos anuais para R$ 5,8, um aumento de 137%, que significa muito mais que um bom resultado. Esse panorama demonstra que o trabalho do BRDE é ativo no desenvolvimento econômico, social e de sustentabilidade em nosso estado e todo o Sul do país”.

RESULTADOS FINANCEIROS
Em termos de destaques financeiros, o lucro líquido do BRDE em 2023 foi de R$ 517,2 milhões, superando em 15% o obtido em 2022. “O resultado foi maior do que o estimado nas projeções internas, demonstrando a sustentabilidade financeira do Banco, um dos seus Objetivos Estratégicos. Essa performance foi alcançada, principalmente, pelo aumento das rendas de operações de crédito (19,8%) e pela redução das despesas tributárias decorrente da apuração de juros sobre o capital próprio”, ressalta o presidente Kleinübing.

O ativo total do BRDE aumentou 10,5% em comparação ao ano anterior, finalizando o ano em R$ 21,1 bilhões, influenciado majoritariamente pelo crescimento da carteira de crédito do Banco. O Patrimônio Líquido do BRDE seguiu o movimento ascendente, fechando o ano em R$ 4,1 bilhões, o que corresponde um aumento de 6,8% em relação a 2022.

O saldo das operações de crédito e os repasses financeiros do BRDE aumentaram 14,5% em 2023, atingindo o montante de R$ 17,8 bilhões. Esse desempenho é fruto do sucesso na aplicação do crescente volume de recursos disponíveis nos últimos anos, a partir da diversificação de fundings. A carteira é composta por 36,9 mil clientes ativos, cujos empreendimentos financiados estão localizados em 1.214 municípios, sendo 1.142 da Região Sul.

O índice de inadimplência, a partir de 90 dias, manteve sua estabilidade em baixo patamar, alcançando 0,62% em dezembro. Nesse exercício, o BRDE fechou com o Índice de Basileia de 21,2 mantendo níveis adequados de capitalização.

CRESCIMENTO HISTÓRICO PARA INOVAÇÃO
Nesse ano, o financiamento para inovação alcançou valores inéditos, R$ 697,6 milhões, 279,8% superior a 2022. A maioria dessas contratações foi proporcionada pelos recursos da Financiadora Nacional de Estudos e Pesquisas (Finep), a qual correspondeu a 11,5% do total contratado pelo Banco, sendo a terceira maior fonte utilizada. Em 2023, o BRDE participou com 42% de todos os financiamentos concedidos no Brasil pela Finep através dos seus agentes credenciados. O banco segue como o principal repassador de recursos para inovação por meio da financiadora no país.

REPRESENTATIVIDADE INTERNACIONAL
Em 2023, o Banco operou recursos próprios e de 11 instituições financeiras parceiras. O Sistema BNDES segue sendo o principal funding do BRDE, participando com 45,8% do total contratado. Nesse ano, o Banco alcançou o recorde de contratações com fontes externas, R$ 1,3 bilhão, aumento de 180,4% em relação a 2022, a partir de recursos captados com: a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), o Banco de Desenvolvimento da América Latina e do Caribe (CAF), o Banco Europeu de Investimentos (BEI), o Novo Banco de Desenvolvimento (NDB) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Essas fontes corresponderam a 22,1% no total de operações contratadas.

Assim como no volume de novos financiamentos, a diversificação das fontes de recursos igualmente vem se consolidando na atuação do banco ano após ano, destacou o diretor de Planejamento, Leonardo Busatto. “Com isso conseguimos manter um ciclo de crescimento contínuo em termos de operações, mas em especial ampliamos a atuação do BRDE em projetos cada vez mais vinculados aos desafios da transição climática, a partir da geração de energias limpas, e da inovação”, acrescentou Busatto.

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você