24 C
Piçarras
sexta-feira 23 de fevereiro de 2024


Governo retira projetos e firma compromisso de enviar substitutivos sobre educação inclusiva

Ouça a Matéria

Em audiência pública realizada na noite desta terça-feira, 28, o prefeito de Penha, Aquiles da Costa (MDB), comprometeu-se a reunir professores e pais para discutir uma nova proposta de substitutivo aos projetos que tratam da educação inclusiva no município. No dia anterior, após intensa repercussão negativada da matéria, o Governo Municipal oficializou a retirada do projeto de lei, protocolado dia 14.

Profissionais da educação, pais e alunos participaram da audiência – Foto, Victor Miranda

“Eu quero assumir o compromisso com vocês […] Aqui hoje eu anotei pelo menos duas ações que podemos alterar nesse projeto e então será feito novo substitutivo. São duas questões: atribuição do monitor, que a gente não quer que tenha nenhuma função pedagógica e também a questão da quantidade de vagas”, ressaltou o prefeito durante a conversa que reuniu profissionais da educação, pais e alunos.

O presidente da Câmara, Adriano de Souza (PSDB), o Tibeco, fez a abertura do evento e passou a condução dos trabalhos para o vereador Maurício Brockveld (MDB), proponente da audiência pública.  Além dos vereadores, a mesa foi composta pelo prefeito Aquiles da Costa, pela secretária municipal de Educação, Thyrciane Santana, e representantes da Associação de Pais e Amigos do Autista (AMA-Penha), pais de alunos especiais e também dos professores.

As deliberações da audiência pública, com as contribuições do público, foram registradas em ata e encaminhadas para o Poder Executivo.

O bloco de oposição dentro da Câmara de Vereadores de Penha já havia se posicionado de forma contrária ao projeto de lei enviado pela Prefeitura e que “cria cargos de profissional do atendimento educacional especializado (AEE), professor bilíngue, guia intérprete, instrutor de libras e auxiliar da educação especial e inclusiva”. Para o grupo, a proposta extingue o cargo de segundo professor, destinado a alunos com necessidade de atendimento especializado.

VEJA AS FOTOS DA AUDIÊNCIA

Comungam da mesma opinião Adriano de Souza (PSDB), Célio Adolfo Francisco (PSDB), Eduardo Bueno (Cidadania), Everaldo Dal Posso (PL), Luiz Fernando Vailatti (Podemos) e Sebastião José Reis Júnior (UB). Eles emitiram uma carta pública reforçando a necessidade da substituição da proposta.

SUBSTITUTIVOS

Na tarde de segunda-feira (27) o Executivo protocolou a retirada do projeto de lei complementar nº 13/2023 que “cria cargos de profissional do atendimento educacional especializado (AEE), professor bilíngue, guia intérprete, instrutor de Libras e auxiliar da educação especial e inclusiva” e também do projeto de lei ordinária nº 38/2023 que “institui a política de educação especial inclusiva, na perspectiva da equidade, inclusão e aprendizado ao longo da vida, para alunos com deficiência, transtorno de aprendizagem, transtorno global de desenvolvimento, transtorno de espectro autista, altas habilidades ou superdotação e alunos com necessidade inclusiva biopsicossocial da Rede Municipal de Ensino da Penha”.

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você