16.7 C
Piçarras
quinta-feira 18 de julho de 2024


Setor lojista de BV preocupado com os furtos

Ouça a Matéria

Com mais de cinco furtos consecutivos somente em uma semana, a falta de segurança no bairro Itajuba multiplicou-se de forma significativa, provocando a comoção do setor lojista. Padaria, pastelaria, lojas de roupa e eletrodomésticos foram alvo de furtos, sem que ainda tenham sido prendidos os responsáveis.
Segundo dados da Polícia Militar, até esse mês foram registrados 20 furtos; cinco vezes mais do que o mesmo período do ano passado.
O proprietário de um comércio de indumentária, Maurício Matías, de 38 anos de idade, já anunciou publicamente o fechamento da empresa Hibisco Surf, depois do quarto furto e mais de R$ 10 mil de perdas em mercadoria roubada. “Chega. Fomos assaltados 4 vezes em 45 dias. Parabéns bandidagem, vocês venceram… vamos embora”, disse uma placa escrita na cortina da loja.
As principais reclamações apontam para a falta de policiamento no bairro, porém a falta de estrutura policial aparece como um problema de grande parte do litoral catarinense.
De acordo com o Major da Polícia Militar de Barra Velha, Hélio Cesar Puttkammer, os números sobre o crime se encontram dentro do panorama geral para os municípios de pequeno porte e a situação está sob controle. “É uma situação aceitável. Estamos num conceito regional de criminalidade. Penha já tem 6 homicídios desde o começo do ano. Segurança pública não depende somente da polícia, mas da participação da comunidade, da denúncia de venda de drogas e da educação”, destacou o Major, e agregou que hoje em dia somente a PM realiza um trabalho exclusivamente focado em evitar que os adolescentes e jovens ingressem no consumo de drogas.
Apesar da diminuição gradativa das estatísticas sobre roubos, cujo crime está caracterizado pelo grau de violência física ou psicológica, o furto aparece na comunidade como um reflexo dos, cada vez maiores, casos de detenções por consumo de drogas. O furto e o consumo de crack estão percorrendo em paralelo o caminho do crime. Os casos relacionados com detenção por tráfico ou consumo de drogas saltaram de 02 em 2009 para 14 em 2010.

Furtos
Segundo Puttkammer, dos 50 casos de furtos desde o início do ano, 20 terminaram em apreensões por parte da polícia. Em paralelo, a falta de efetivos e de viaturas para realizar os policiamentos também representam um empecilho para melhorar a segurança na cidade. “O prefeito se pronunciou a favor de realizar convênios para a compra de viaturas policiais. Também houve recentemente um pedido de viatura e 30 efetivos de reforço do Executivo, o Legislativo e dos conselheiros da SDR para o Governo do Estado”, encerrou o Major.
Nas ruas, a sensação do comércio é de falta de segurança. Donos de lojas dormiram na frente dos seus estabelecimentos. A lojista Marilize Zimmermann assegurou que já foi vítima de tentativas de assalto e furtos “As lojas estão fechando às 18h porque depois começa a escurecer e ninguém se sente seguro. Não estamos colocando as melhores peças de roupa na vitrine para evitar furtos, mas também perdemos clientes”, comentou.

Participação
O presidente do Conselho de Segurança de Itajuba (Conseg). Ernesto Kanzler, ressaltou a falta de comunicação dos moradores com a polícia e valorizou a realização de convênios de formação técnica e criação de empregos para os mais jovens. “Em toda Santa Catarina faltam efetivos e viaturas, mas temos que lutar por isso, pedir ao Estado. Na cidade todo mundo sabe que tem 60 pontos de droga, mas se ninguém denunciar não há forma de estabelecer mudanças”, encerrou.
 

Foto por: Ezequiel Díaz Savino | JC

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você