26.1 C
Piçarras
terça-feira 16 de abril de 2024


Consumidores são vítimas do ?golpe elétrico?

Ouça a Matéria

Nair Hermann foi vítima de um novo golpe. Na tarde de quarta-feira, 21, a senhora – que mora no Centro de Balneário Piçarras –atendeu um homem que dizia ser funcionário da Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) e que pediu para entrar em sua residência, alegando falhas no sistema elétrico da casa. Enquanto realizava a ‘verificação’, solicitando que Nair mantivesse uma chave teste dentro de uma tomada, o homem realizou uma série de pequenos furtos e se foi.
Segundo a senhora, a abordagem começou pelo disjuntor afixado ao muro da residência, quando o homem disse ser da Celesc e que estaria realizando uma análise para empresa. “Depois disso, ele pediu para ver o disjuntor de dentro da casa e eu disse que não tinha. Foi então que ele pediu para entrar e analisar melhor”, lembra Nair, ainda bastante receosa com a entrevista, por desconfiar de um novo golpe.
Durante a verificação interna, o homem fingiu fazer uma ligação telefônica pelo celular, de onde recebeu as supostas orientações para resolver o falso problema elétrico. “Então ele me mandou segurar uma chave de fenda na tomada e esperar a luz acender”, conta a senhora. Enquanto isso, o homem aproveitou para vascular a casa e roubar R$ 92 – valor retirado de dentro de duas carteiras – e uma câmera digital.
“Em seguida ele disse que voltaria dentro de trinta dias e se despediu, muito simpático. Eu não notei o furto na hora”, diz Nair. Somente à noite, que seu esposo, José Hermann, pegou a carteira para ir até o mercado é que o golpe foi descoberto. No momento de pagar pelos produtos comprados no mercado, Hermann se deparou com a carteira vazia. “Liguei para a Celesc que confirmou minha suspeitas”, completa.
O casal registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Balneário Piçarras. Segundo a própria Celesc, este não é o primeiro caso registrado na região. Pessoas de Penha e Barra Velha também já foram vítimas. “Semana passada uma mulher ligou para cá (Celesc) e perguntou se tínhamos mandado alguém para realizar essa verificação. Na hora orientei ela a chamar a Polícia”, afirma o funcionário da agência local, César Pedro Curtarelli.

Celesc não entra em residências
De acordo com César, que informou ao Jornal do Comércio sobre o golpe, a Celesc jamais irá pedir para entrar na casa do consumidor. “A Celesc não entra na casa. O trabalho vai somente até o medidor de luz”, confirma. O próprio funcionário da agência está encaminhando e-mails alertando à população sobre o novo golpe.
 

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você