21 C
Piçarras
quinta-feira 18 de abril de 2024


Balneário Piçarras inicia processos em busca da quinta certificação do Bandeira Azul

“Atualmente a gente tem um trecho certificado. Já foram cinco anos recebendo essa certificação e agora a gente vai buscar para temporada 2023/2024”

(FOTO, FELIPE FRANCO, JC(
Ouça a Matéria

O município de Balneário Piçarras deu início ao processo burocrático em busca da quinta renovação da certificação do trecho de 3,2 quilômetros da orla junto ao programa Bandeira Azul para a temporada 2023/2024. O Governo Municipal também almeja elevar a extensão da certificação para até a divisa com Barra Velha.

Balneário Piçarras almeja certificar o trecho entre o Molhe Norte até a divisa com Barra Velha

No início do mês (5 e 6), o Instituto do Meio Ambiente (IMP) de Balneário Piçarras participou do 16º Workshop Nacional do Programa Bandeira Azul, é realizado na praia do Cumbuco, no município de Caucaia (CE). O foco foi discutir os critérios do programa, o ingresso de praias na fase piloto, renovações, além de sanar dúvidas específicas sobre a certificação.

“Atualmente a gente tem um trecho certificado. Já foram cinco anos recebendo essa certificação e agora a gente vai buscar para temporada 2023/2024”, adiantou a presidente do IMP, Liára Rotta Padilha. O trecho certificado fica entre o Molhe Norte (descida da Avenida Getúlio Vargas) até a Rua 3.750 (Canto do Sol).

O Governo Municipal planeja a ampliação da certificação em mais 1.225 metros, até a divisa com Barra Velha, totalizando 4.425 metros. Contudo, Liára pontua que a certificação depende de questões ambientais de qualidade da água do trecho, que pode ter influência negativa diante da ausência de tratamento de esgoto no setor.

“Nós vamos também inserir um segundo trecho. Ele é um trecho de tentativa. A gente tem as análises de qualidade da água hoje, que é o ponto principal. A maior dúvida é se vai se conseguir manter ao longo do ano

LIÁRA PADILHA

“Nós vamos também inserir um segundo trecho. Ele é um trecho de tentativa. A gente tem as análises de qualidade da água hoje, que é o ponto principal. A maior dúvida é se vai se conseguir manter ao longo do ano, uma vez que o tratamento de esgoto da CASAN ainda não atende todo o município. Então a gente obviamente tem a expectativa de conseguir a certificação”, explicou a presidente do IMP.

Por conta desta questão, o protocolo de certificação foi separado por trecho. “Com bastante consciência de que existe a possibilidade de não aderir, até por isso que nós fizemos dois formulários. Dois cadastros específicos para que eventualmente se do trecho que nós estamos tentando agora pela primeira vez não der certo, por algum problema de análise de qualidade e tudo mais, ele não comprometa a certificação que a gente já tem hoje”, reforçou Liára.

Para esta temporada, IMP e Secretaria de Turismo – mais atuante para o Programa nesta temporada – planejam outras ações para valorizar ainda mais a certificação. “Após o workshop nós viemos com várias ideias. Na verdade, o Bandeira Azul ele é composto por outros programas parceiros vinculados que é o programa e Green Cay que tem o foco na certificação de hotéis, bares e restaurantes e também o Bandeira Verde, que é um programa voltado as escolas. Então nós já temos algumas outras iniciativas do município e a gente quer agregar junto com o Bandeira Azul esses outros essas outras certificações. A gente já tem por exemplo o Selo Verde no município, que é muito similar ao Green Cay. Mas, a gente quer trazer tudo para mesma nomenclatura para dar corpo ao programa, especialmente por ser uma certificação internacional. Então isso ainda está em desenvolvimento”, encerrou.

O PROGRAMA BANDEIRA AZUL

A Bandeira Azul é um selo internacional que certifica praias ao redor do mundo que cumprem rigorosos critérios de balneabilidade, preservação ambiental, segurança, infraestrutura e acessibilidade. Para participar do programa, Balneário Piçarras foi aprovada por um júri nacional e outro internacional, reunido em Copenhagen, na Dinamarca. Dentre os diferenciais do município, destacam-se a balneabilidade, comprovada por um longo histórico de excelente qualidade de água, e a preservação da restinga.

Para cumprimento das exigências do programa, é necessário manter a praia própria para banho, realizar a manutenção de banheiros na faixa certificada, garantir a acessibilidade de cadeira anfíbia para portadores de necessidades especiais. Além disso, serão realizadas diversas atividades de educação ambiental mediadas por profissionais da área.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você