24 C
Piçarras
quarta-feira 24 de abril de 2024


Barra Velha autoriza construção da sede do Parque Natural Municipal Caminho do Peabirú

Projeto sustentável terá escritório administrativo, recepção, cafeteria, área de exposição, sanitários e auditório, além de medidas ecológicas para preservação ambiental

Ouça a Matéria

As obras de construção da sede do Parque Natural Municipal Caminho do Peabirú, em Barra Velha, foram autorizadas nesta quinta-feira, 13. Ela será construída na rua Roberto Afélis Junior (antiga 2024), bairro Nova Barra Velha, dentro do prazo máximo de 30 dias – com previsão de término para o mês de janeiro.

A nova sede contemplará estrutura completa para atender os visitantes e administrar as atividades do local. O projeto inclui a construção de um escritório administrativo, recepção, área para exposição, cafeteria, sanitários, auditório e um deck de madeira externo e coberto, proporcionando um ambiente acolhedor e funcional para todos os frequentadores. Já está definido que Gabriela Klein será a gestora do parque.

“O Parque Natural Municipal Caminho do Peabirú é uma enorme conquista. De sonho para uma realidade”

DOUGLAS ELIAS DA COSTA (PL), PREFEITO

A autorização da obra foi dada pelo prefeito de Barra Velha, Douglas da Costa (PL), em ordem de serviço assinada junto da empresa JAS Construtora Ltda. “Nossa cidade cresce e Barra Velha tem exigido muito Planejamento para o nosso futuro seguro em todas as áreas, especialmente em meio ambiente. O Parque Natural Municipal Caminho do Peabirú é uma enorme conquista. De sonho para uma realidade; de um projeto de futuro para a construção do futuro. Em breve, muito breve estará pronto para ser usufruído”, disse o gestor.

A sustentabilidade é ponto central no desenvolvimento do projeto da sede. O presidente da Fundação do Meio Ambiente (Fundema), Giovanni Tomaselli Guesser, ressaltou que a construção foi cuidadosamente planejada, levando em consideração medidas ecologicamente responsáveis.

PLANO DE MANEJO

O trabalho técnico da Univali buscou atualizar o conhecimento sobre a biodiversidade da região, quinze anos após a criação do parque, que foi criado oficialmente em 2007 e, hoje, ocupa uma área de 121 hectares localizado no perímetro urbano de Barra Velha. Preserva um fragmento raro do bioma Mata Atlântica com espécies ameaçadas de extinção – e tem proximidade direta com a Laguna de Barra Velha, o Rio Itapocu e o Oceano Atlântico.

“Ele é um estudo complexo, que já está disponível digitalmente, e existem algumas coisas que terão que sofrer algumas análises. É uma tramitação normal, é assim mesmo. Mas, em suma, ficou um Plano muito bom, pela riqueza de detalhes, sobre a diversidade da fauna e flora, sua proximidade junto à Laguna – que chamam de Lagoa, mas, é Laguna – a questão do mar, do Itapocu, enfim, a riqueza é muito grande”, enriqueceu o tema, Giovanni. Com a atualização do Plano, a Fundema espera desenvolver ações de fomento ambiental e turístico.

O parque foi idealizado com 428 hectares, metragem reduzida para 121 hectares através da Lei Municipal 1.642, de 13 de dezembro de 2017.  “O Parque foi oficialmente criado em 2007 e o primeiro Plano de Manejo foi elaborado e finalizado em 2011, mas pouco foi implantado. Posteriormente, houve a redução da área do parque por falta de verbas para desapropriação, por isso se faz necessária a atualização do Plano de Manejo para aplicação na área existente”, finalizou o presidente.

1 COMENTÁRIO

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Henrique Kuhne
Henrique Kuhne
9 meses atrás

Olá, tenho um acervo do Eduardo Krich ele foi topógrafo em 1880, meu telefone 47997483095.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você