19.4 C
Piçarras
segunda-feira 22 de abril de 2024


Dona Tudinha e Seu Aragão integram o projeto cultural “Retratos da Nossa Gente”

Suas faces e histórias estão sendo lapidadas pelo artista Isaac Moraes no bairro de Santa Lídia, junto à Praça da unidade de saúde

Foto, Felipe Franco/ JC
Ouça a Matéria

Estão em Santa Lídia mais dois painéis do projeto cultural penhense “Retratos da Nossa Gente”, da Fundação de Cultura de Penha Picucho Santos. Dona Tudinha – Professora e Artesã e Seu Aragão – dono de Engenho de farinha e transporte de bananas estão em lapidação na parede lateral da unidade de saúde, junto à praça Cleusa Bento da Silva.

O superintendente da Fundação, Eduardo Bajara, explica que Dona Tudinha foi “educadora desde mocinha, se aperfeiçoou na arte de restaurar imagens sacras e no Artesanato, que realizava com grande maestria. Destacou-se na Educação de Penha como Professora e Orientadora pedagógica”.

Com relação a Seu Aragão, Bajara destaca que “além do engenho de farinha de mandioca, movido a bois, destacou-se no transporte de alimentos, principalmente bananas, da Santa Lídia para as regiões de Navegantes e Itajaí, com sua carroça de rodas de madeira inseparável, deixou seu legado no bairro, onde seus filhos mantêm engenhos e comércio”.

O projeto, que prevê um total de 20 painéis, se torna parte integrante da Rota Cultural de Penha. “Essa sequência de murais pela cidade de Penha fará parte de um roteiro artístico, potencializando o perfil dessa cidade”, completa o artista plástico Isaac Moraes, que realiza o trabalho utilizando a técnica de pintura chamada por ‘Grid’, muito antiga e lapidada por grandes mestres da arte, como por exemplo, Leonardo Da Vinci.

“Eu enquanto artista, vivenciando e executando muitas técnicas. Masterizei esse estilo que gosto de chamar de ‘Realismo Natural’, pois a tinta que utilizo é extraída da própria terra. Ampliando a reflexão de quem se depara com essas manifestações artísticas. Arte do pó da terra”, finaliza Isaac.

COMO OS PERSONAGENS SÃO ESCOLHIDOS?

Bajara acrescenta que “antes de tudo, deve-se entender como é o processo da escolha da pessoa que estará retratada no painel. Mapeamos algumas famílias importantes da história da cidade, com ‘viés cultural’, ou seja, com legado através de seus serviços prestados para a cultura de Penha. Das famílias mapeadas, elegemos um representante para estampar o painel artístico, e espera-se que todos os seus familiares, parentes e amigos se sintam homenageados por este. As pessoas retratadas nos painéis não são anunciadas com antecedência. É sempre uma nova surpresa a cada painel confeccionado, e medimos a apreciação e vislumbração dos parentes e amigos durante a pintura. Um povo sem história está fadado ao esquecimento. Com esse projeto, mantemos nossa história viva e criamos um Roteiro Cultural – que pode ser explorado para fins turísticos e pedagógicos” finaliza.


QUEM JÁ ESTÁ NOS PAINÉIS?

DICO DO AMÂNCIO: Pescador de Versos (Avenida Eugênio Krause n° 4064), MILTON FONSECA: Tenente Expedicionário (Avenida São João n° 1054), PICUCHO SANTOS: Folião dos Versos (Avenida São João n° 1054), BEATA SOUZA: Benzedeira (Avenida São João n° 1054), BENEDITO DE JESUS: Urso do Mar (Avenida São João n° 1054), PESCA ARTESANAL: Heróis do Mar )Rua Capitão Galdino n° 100), CAPITÃO AVELINO: Guardião do Natal dos Pretos  (Rua João Manoel de Souza n° 370), SEU QUININHO: O Mestre da Praia  (Rua Ivo Silveira n° 100), ZÉ DA PONTE: O Mestre do Comércio (Rua Ivo Silveira n° 100), DONA PEPA: Parteira, professora e comerciante (Rua Arno Becker), SEU ÉCA: Mestre da Prainha (Rua Arno Becker) e Seu Didico: Devoção e Fé no Divino da Penha (junto à galeria da Caixa) formam o roteiro.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você