20.6 C
Piçarras
terça-feira 18 de junho de 2024


Justiça determina nomeação de perito para avaliar rachaduras em imóvel

Ouça a Matéria

A juíza da 1ª Vara da Comarca de Balneário Piçarras, Fabrícia Alcântara Mondin, determinou a nomeação de um perito para realização de perícia de engenharia em um imóvel localizado no bairro Itacolomi, em Balneário Piçarras. A decisão foi determinada após os proprietários ingressarem com ação diante do surgimento de rachaduras, que eles afirmam terem se iniciado após o início da construção de um prédio vizinho.

Laudo final será anexado ao processo – Fotos, Felipe Franco / JC

A decisão busca a produção de provas concretas sobre as alegações apontadas na ação ajuizada por Marcia Regina Capelim Wikoski contra a Vecchi Empreendimentos – que teve a determinação confirmada pela magistrada em despacho datado do último dia 16. Márcia, através do advogado, Rodrigo do Canto Brancher, buscava de imediato a suspensão do alvará de construção, medida que foi negada pela juíza nesta primeira análise.

O perito será definido pelo Poder Judiciário. As partes envolvidas também poderão indicar assistentes para acompanhar o técnico trabalho de engenharia. O laudo final será anexado ao processo, como forma de basilar as futuras decisões da magistrada na ação que almeja a indenização moral pelos danos apontados por Marcia em seu imóvel comercial situado às margens da Avenida Nereu Ramos.

Segundo a família Capelim, a estrutura começou a se deteriorar assim que o fundamento do prédio vizinho começou a ser cravado. “Todos os inquilinos estão deixando o imóvel, por segurança natural. Rachaduras surgiram, o solo cedeu em algumas partes e algumas paredes parecem ter se deslocado – não há menor segurança em manter o prédio habitável”, afirma o filho de Marcia, Matiolo Capelin. O imóvel possui 300 metros quadrados e acomoda cinco salas comerciais.

A Construtora responsável alega que o imóvel já possuía rachaduras, mas que procederá com nova vistoria ao término da fundação. Questionada pela reportagem, a Construtora – que edifica o Palazzo Di Veneza, com dez andares, no bairro Itacolomi – respondeu por meio de nota assinada pelo advogado, Anderson Carlos Deóla da Silva. A empresa afirma que cumpriu com todos os requisitos legais para iniciar com a obra, em especial, com o estudo de impacto de vizinhança, apresentado aos imóveis da região.

“A construtora informa que antes do início das obras, tomou todas as medidas legais cabíveis, sendo no caso em específico, o impacto de vizinhança este do conhecimento de todos os proprietários das propriedades circunvizinhas. A propriedade cuja alegação de ocorrência das rachaduras após início das obras, igualmente passou por vistoria”, pontua a empresa.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você