18.1 C
Piçarras
segunda-feira 27 de maio de 2024


AMA de Barra Velha recebe homenagem da Assembleia Legislativa

Ouça a Matéria

A Associação de Apoio aos Autistas de Barra Velha (AMA) foi uma das homenageadas na noite desta segunda-feira, 15, em sessão especial da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). A homenagem, proposta pelo deputado Pepê Collaço (PP), ocorre durante o mês de conscientização do autismo e faz jus ao trabalho desenvolvido pelo grupo barra-velhense.

“A AMA de Barra Velha foi homenageada pela realização de ações de responsabilidade social em defender, valorizar, incluir e melhorar a vida das pessoas com Transtorno do Espectro Autista no Estado de Santa Catarina”, citou a presidente da AMA de Barra Velha, Silvia Lichmann Demarchi. O ex-presidente da AMA e sócio fundador, Basilio Alexandre da Silva, representou o grupo na capital – junto dos associados Jhon dos Santos Pedro e Arlene Fagundes.

Ex-presidente da AMA e sócio fundador, Basilio Alexandre da Silva, representou o grupo na capital – Foto, Bruno Collaço / Alesc

A AMA Barra Velha, entidade com título de utilidade pública, foi fundada em 30 de abril de 2021, está localizada na Rua Silvério Bertolino Ribeiro nº 716, São Cristóvão, atualmente atende 100 crianças e adolescentes no espectro autista entre 1 a 22 anos. Ela é mantida com doações de associados e comunidade, contribuição das famílias atendidas e eventos organizados pela diretoria como rifas, bazares e bingos. Todos da diretoria e associados são voluntários

A proposta de Pepê Collaço é um reconhecimento ao trabalho desenvolvido pela Federação da AMAs no Estado de Santa Catarina (Feamas/SC). “Essa não é uma homenagem apenas do deputado, é do povo, do Estado de Santa Catarina”, afirmou o deputado, que coordena uma frente parlamentar sobre o assunto na Alesc. “Precisamos criar condições cada vez melhores para a inclusão das pessoas com autismo. Nossa frente e toda a Assembleia trabalham nesse caminho. Já evoluímos em várias questões, mas ainda temos desafios”, acrescentou.

Collaço destacou que entre as atividades da frente parlamentar está o acompanhamento técnico a proposições em tramitação na Alesc, as discussões para a elaboração de um censo estadual das pessoas com autismo, visando aperfeiçoar as políticas públicas; elaboração de projetos de lei que tratam do protocolo individualizado de avaliação (PIA) e das sessões de cinema acessíveis; entre outras iniciativas.

O vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro José Nei Ascari, ocupou a tribuna durante a sessão especial para discursar em nome dos homenegados. Ele era deputado estadual quando propôs a criação da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Alesc, em 2012. Também foi de sua autoria da Lei Estadual 16.036/2013, que instituiu a política estadual dos direitos do autista, entre outras iniciativas, como a audiência pública que resultou na criação da Asca, atual Feamas/SC.

“Esta sessão é muito mais que o reconhecimento aos dirigentes, aos voluntários, famílias. Representa um estímulo para a continuidade e o fortalecimento desse tão importante trabalho”, afirmou Ascari. “Leis não faltam, o que falta é o cumprimento delas. Esse deve ser o nosso maior propósito: perseguir o cumprimento dessas leis, porque a causa vale muito a pena.”

UNIÃO
A presidente da Federação Catarinense de Educacão Especial (FCEE), Jeane Probst Leite, conclamou todas as AMAs constituídas em Santa Catarina a se unirem à Feamas. “Unidas, a federação poderá lutar por vocês. Isso torna vocês mais fortes e possibitirá mais conquistas.”

A presidente da Feamas, Cátia Franzoi, lembrou que a criação da federação, que teve início numa audiência pública da Alesc em 2012, surgiu justamente da necessidade de fortalecer a luta em prol das pessoas com autismo. Ela agradeceu à Assembleia pela homenagem.

“É dessa forma que vamos fortalecer nosso trabalho e isso vai aparecer no desenvolvimento da criança, do jovem que possui o autismo”, afirmou. “Trabalhar em prol do autismo sempre foi uma missão para todas as AMAs. Saber qure nosso esforço e dedicação estão sendo valorizados por pessoas tão queridas e respeitadas é extremamente gratificante. É um estímulo para seguirmos em frente.”

A sessão especial foi marcada pela apresentação da Banda Tribo 84, um grupo de musicoterapia. O número 84 é uma alusão ao código do autismo na Classificação Internacional de Doenças (CID). A exibição do grupo emocionou os presentes.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você