24.1 C
Piçarras
terça-feira 16 de abril de 2024


Escritores catarinenses abrem em Barra Velha ano literário estadual

Ouça a Matéria

A Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina (ALBSC) acolheu os escritores catarinenses para a abertura do seu ano literário de 2024 neste sábado, dia 24 de fevereiro, em Barra Velha, com a presença de dezenas de cidades catarinenses, como São Francisco do Sul, Imbituba, Agrolândia e Joinville, entre outras.

A recepção foi feita pela Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina, Seccional Acácio Borba Coelho, de Barra Velha. O evento ocorreu no Centro Cultural Casa de Palmito, na Praça Lauro Carneiro de Loyola, e houve a entrega da chave literária da Academia Estadual pelo seu presidente, o professor Miguel João Simão, de Governador Celso Ramos, entregue aos acadêmicos e escritores da cidade de Agrolândia, que em novembro deste ano vai fechar este mesmo ano literário.

O evento em Barra Velha contou com reforço da importância da produção da escrita e da difusão do livro e foi conduzido pela presidente da seccional Acácio Borba Coelho, Leila Cristina Petry, ocasião em que também foi marcada a saída de Leila após sete anos da condução da academia.

A nova presidente é a imortal Adeneri Nogueira de Borba, destacada divulgadora e pesquisadora de literatura. Os acadêmicos de Barra Velha, anfitriões do evento, também ofereceram aos visitantes um coquetel e apresentações das culturas açorianas e gauchesca, vinculadas ao Núcleo de Artes da seccional barra-velhense.

Também na ocasião foram anunciados os nomes dos novos imortais de Barra Velha: o jornalista Juvan Neto e as ativistas culturais Jacinda Padilha e Juralice Rodrigues, além do professor Thiago Prado, de Joinville, que assume a coordenação regional norte da ALBSC.

Os quatro acadêmicos prestaram um juramento de fidelidade aos propósitos democráticos, culturais e literários da Academia Estadual. Durante o evento também foi feita a entrega da primeira edição da Medalha professora Maria Lindamir de Aguiar Barros, uma homenagem à saudosa educadora barra-velhense falecida no ano de 2018 e que ocupava a cadeira número dois da Academia.

Familiares de Maria Lindamir estavam presentes na entrega das medalhas, e os demais imortais também receberam essa distinção. O evento contou ainda com uma declamação de poesia de autoria de Leila Petry feita pelos demais acadêmicos como homenagem pelo período em que Leila não apenas articulou a criação da academia, mas também a presidiu.

O Centro Cultural Casa de Palmitos foi representado durante o evento Centro Cultural Casa de Palmitos abrigou as apresentações culturais oferecidas aos visitantes e Simão, o presidente da Academia Estadual, reforçou a importância da expansão da literatura e autorização do livro.

As produções feitas pela seccional Acácio Borba Coelho de Barra Velha estavam expostas, entre elas os livros Nossas Palavras, volumes 1 e 2, e também livros que tiveram apoio da Academia desde sua fundação, como é o caso da obra Lembranças de Minha Família, de Enoi Dilly e também das obras de literatura infantil do professor José Carlos Fagundes, o Cacá Fagundes e Nanci Cristina dos Santos.

Adeneri, ao prestar juramento, se lançou ao desafio de presidir o trabalho executado por Leila em Barra Velha e difundir ainda mais esta produção e valorização literária. A Academia, inclusive, produz para este ano um novo livro, desta vez não mais uma antologia, mas uma produção em homenagem a mulheres de destaque na história de Barra Velha. O evento contou com apoio da Fundação de Turismo, Esporte e Cultura local (Fumtec).

Fotos: Fernando Schroeder

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você