21 C
Piçarras
quinta-feira 18 de abril de 2024


Gilberto Manzoni é homenageado pela Câmara

Ouça a Matéria

A Câmara de Vereadores de Penha homenageou na noite desta terça-feira, 8, em uma Sessão Solene, o coordenador do Centro Experimental de Maricultura da Universidade do Vale do Itajaí, Gilberto Caetano Manzoni, com o título de Cidadão Honorário de Penha. O autor da homenagem, Rogério Pedro Gomes (PSD), define que ela foi atribuída em função do professor pesquisador ter encabeçado a produção de mexilhões de cultivo na cidade, há quinze anos.
Durante seu discurso de homenagem, Rogério salientou o trabalho do pesquisador na busca por novas técnicas de cultivo em larga escala e na qualificação dos produtores locais. “Graças ao trabalho do Gilberto Manzoni, Penha hoje é a segunda maior produtora de mariscos de cultivo de todo o Brasil. Essa homenagem é apenas um breve agradecimento pela formação de umas das principais economias de Penha”, frisou, citando ainda o professor, Adriano Marensi, como articulador direto das primeiras ações.
Após anos de luta – tanto para o convencimento da comunidade e das autoridades de que a produção de marisco de cultivo era viável e rentável – a maricultura é uma atividade extremante consolidada em Penha. “Sou morador nativo de Penha e acompanhei a evolução deste trabalho. Sou prova viva de todas as dificuldades enfrentadas pelo pesquisador e pela Universidade para implementar a atividade, em uma momento de crise da pesca local”, complementou Rogério, que sugeriu a homenagem este ano, por meio do requerimento 31, aprovado por unanimidade.
Ao subir à tribuna, o homenageado agradeceu o título e afirmou que a atividade está apenas caminhando no município. “É cidade com o maior potencial, em todos os sentidos, tanto na qualidade, quanto na quantidade. A maricultura está apenas começando”, disse à população que lotou o plenário da Câmara. Ele também ressaltou a confiança e dedicação dos produtores locais para o crescimento da nova prática econômica. “Vejo, que com essa condecoração, minha responsabilidade com o município e os maricultores, aumenta”, completou.
Apesar da naturalidade gaúcha, Manzoni tem Penha como sua cidade. “Estou muito feliz que a maricultura conseguiu se firmar em Penha, a minha cidade. Observo que é preciso sempre fazer o bem, porque ele retorna para gente”, declarou seu amor pela cidade que escolheu para firmar residência e passar a eternidade. “Quero que as minhas cinzas sejam jogadas na Ponta da Vigia (praia). Nesta cidade fiz minha vida”, encerrou o homenageado, que foi condecorado com uma placa.
 

Foto por: Felipe Bieging

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você