28.4 C
Piçarras
sexta-feira 23 de fevereiro de 2024


Os cuidados que a mente precisa

Ouça a Matéria

A sociedade brasileira vive um de seus momentos mais delicados da história. Enquanto se isola, por determinação do governo estadual, como forma de prevenção ao coronavírus, prospecta os prejuízos econômicos que o futuro reserva. Em meio a todas essas incertezas, outra linha pessoal é afetada: nosso psicológico. O que você tem feito para cuidar da sua mente?

A psicóloga, Gisele Giana Cardoso, dá dicas de como manter a paz de espírito e ter plena capacidade de enfrentar o segundo momento de recuperação. “Não podemos negar esta realidade, independente das diversas teorias acerca da causa. Não é momento para nos preocuparmos com isso. Devemos sim, seguir todas as orientações decretadas de higienização e isolamento social como forma de prevenção e controle desta pandemia”.

Ela pontua, que a criação de uma rotina diária ajuda a diminuir os efeitos negativos desse processo. “Utilize o tempo a seu favor, estabelecendo uma rotina de atividades, como por exemplo: faça atividades com a família, aproveite para brincar com seus filhos, reinvente o lazer de forma criativa, aproveite para estudar, leia bons livros, faça um curso on-line, se dedique a algum projeto de trabalho, etc”, recomenda.

O volume de informações recebidas – além da veracidade questionável de muitas delas – tem mexido com o aspecto emocional das pessoas. A profissional frisa que é necessário ter zelo próprio. “Além da pandemia do vírus estamos vivenciando uma histeria coletiva, desencadeando assim a ‘pandemia do medo’. Natural que tenhamos medo, angustia, ansiedade, sensação de impotência, bem como outros sentimentos negativos, diante de todo esse panorama. Aceitamos isso também, porque faz parte do processo”.

Apesar de o momento denotar muita preocupação, a psicóloga ainda encontra um caminho observar o momento com olhos de esperança. “Mas a reflexão que quero trazer neste tempo de crise pandêmica, pode até num primeiro momento “soar mau” são as palavras otimismo e calma. Tudo que tinha que ser dito sobre o vírus já foi dito! E chegado o momento de co-criarmos a nossa realidade emocional diante de tudo isso, pois sabemos que pensamentos catastróficos, emoções negativas, desespero, influenciam diretamente nosso sistema imunológico”, finalizou.

 

JC – Quais os efeitos que a quarentena podem ter sobre a mente humana?

Gisele: Devido ao fato de não sabermos quanto tempo durara em média a quarentena, o medo das pessoas de serem infectadas, informações inadequadas, possíveis perdas financeiras, os efeitos psicológicos incluem estresse mental, estresse pós traumático, ansiedade, confusão emocional, síndrome do pânico e sintomas depressivos, além disso a pessoa pode ser levada a consumir alimentos em excesso, tranquilizantes, dentre outros aspectos.   

 

JC – Quem mora sozinho, por exemplo, pode ser mais afetado?

Gisele: Não necessariamente, vai depender muito da capacidade psíquica de cada um, do histórico de vida e do seu ciclo de vínculos afetivos, porque uma pessoa mesmo que esteja sozinha em tempos de quarentena pode estar conectada as pessoas que ela ama. Depende muito da sua personalidade e percurso de vida. Nesse caso é recomendável planejar contatos on-line com outras pessoas regularmente e criar uma rotina diária.

 

JC – O que o sentimento negativo e antecipado pode causar em uma pessoa?

Gisele: O medo desencadeado, tem como resultado estresse que por sua vez quebra nossas barreiras de defesa fisiológicas. Nesse sentido a nossa maior arma hoje diante deste inimigo invisível e a nossa capacidade e exercício de saúde mental, e isso compete somente a cada um de nós; é momento de olharmos para dentro, de buscarmos fortalecimento e equilíbrio interno, você com você, com sua hierarquia de fé, focar em estabelecer uma rotina saudável, pensar acerca dos recursos que você tem para enfrentar, como por exemplo o que você pode fazer pelo outro, pelo coletivo?

 

JC: As pessoas por exemplo que já sofrem de estresse, depressão, ansiedade e outras enfermidades nessa linha, como devem ser portar?

Gisele: As pessoas que já sofrem de enfermidades psíquicas, infelizmente a tendência é os sintomas se intensificarem, estão mais sujeitas a sofrer com a crise, por exemplo, uma pessoa que tem diagnóstico de Transtorno Obsessivo Compulsivo – TOC, com mania de lavar a mãe em excesso pode ter o quadro agravado. A recomendação é quem faz tratamento com psicólogo, psiquiatra por exemplo continuar o acompanhamento através de meios on-line. No momento tem muitos profissionais dessa área trabalhando desse modo. Estão sendo fornecidas ‘plataformas’ digitais de atendimento on-line gratuitas. Se faz uso de medicação, continuar usando e, buscando seguir todas as sugestões de enfretamento em termos de saúde mental, que estão sendo oferecidas a comunidade, nesse período de quarentena.

 

JC: Como é possível amenizar as questões negativas desse isolamento?

Gisele: Vou dar algumas dicas:

– O pensamento otimista, criativo, corajoso e compreensivo nos eleva as vibrações, nosso campo imunológico e nossa capacidade de enfretamento. Então faça seu recolhimento, ore, medite, reze, independente de credo, religião, filosofia, cumpra sua parte cuidando-se, pulsando amor otimismo e fé;

–  Faça o consumo responsável de informações, descanse um pouco sua mente desse excesso de informações. Faça um filtro, coloque limites, pois esta catarse de informações nos tira o foco do bem viver, de nossa pratica diária de fortalecer nossa imunidade;

– Use a tecnologia a seu favor, conectando -se com as pessoas que você ama;

– Utilize o tempo a seu favor, estabelecendo uma rotina de atividades, como por exemplo: faça atividades com a família, aproveite para brincar com seus filhos, reinvente o lazer de forma criativa, aproveite para estudar, leia bons livros, faça um curso on-line, se dedique a algum projeto de trabalho, etc. É muito importante estabelecermos uma rotina, até mesmo as pessoas que estão trabalhando em Home Office, pois tempo e mente ociosa podem levar a quadros de ansiedade e isso afeta nossa capacidade de enfrentamento. Tenha disciplina;

– Procure na medida do possível cuidar da sua alimentação, praticar exercícios, tomar banho de sol, cuidar d seu sono;

– Reflita! sua saúde mental e uma arma poderosa em tempos de corona vírus! Apesar do momento ser muito delicado, vamos tentar manter a calma, o otimismo, a fé, a solidariedade, a coragem, a fraternidade!

– Vamos elevar nossos pensamentos, criar a nossa realidade interna! Tenhamos Fé que com as medidas de precaução decretadas pelo governo e com sua saúde mental em equilíbrio, vamos vencer e tudo vai passar! É tempo de nos unirmos, e tempo de renascer, de nos tornamos pessoas melhores, cada um fazendo a sua parte! Cuidem-se! Que a nossa arma de combate seja a expansão do amor, da fé. E ao término de tudo isso que possamos colocar em exercício diário todo o aprendizado. 

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você