16.7 C
Piçarras
quinta-feira 18 de julho de 2024


Prefeitura de BV e Cohab garantem 30 novas casas

Ouça a Matéria

Através de uma parceria entre a Cohab de Santa Catarina e a Prefeitura Municipal de Barra Velha, iniciou-se a construção de mais 30 casas populares do loteamento Nova Casa, no bairro São Cristóvão. O programa prevê construir cada novo domicílio com 37,5m² numa área frente ao Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja). De acordo com o prefeito Samir Mattar, esta é a segunda das três etapas dos convênios celebrados dentro do Projeto Reação, entre Barra Velha e a Cohab do Estado.
Nesta fase do projeto serão construídas 30 novas casas, num condomínio residencial conveniado, que vão atender às pessoas que sofreram com as enchentes de 2008.
Segundo informou a diretora de Habitação de Barra Velha, Isabel Cristina Borba, as obras já estão em andamento. Já as primeiras 51 unidades concluídas são resultantes do projeto PSH Mutirão, através de uma parceria entre Prefeitura, Cohab estadual e mutuários. Estas casas estão atualmente em fase de finalização da pintura e alinhamento das ruas. Isabel destacou o apoio recebido do secretário de Obras, Lourival Matias Francisco, e seu diretor, José Mário Schimitt e toda a equipe, que tem trabalhado até nos finais de semana para o cumprimento dos prazos de construção de ruas e instalação de rede de esgoto pluvial.
Já o prefeito Samir frisou que o enfrentamento do déficit habitacional de Barra Velha conta também com parcerias consistentes com a Câmara de Vereadores local, que está sempre atenta e participante de todo o processo de crescimento destes conjuntos residenciais. A parceria entre Celesc e Cohab garantiu a colocação do equipamentos de aquecimento solar para os 51 primeiros moradores, e com a Celesc de Itajaí, garantindo o fornecimento da iluminação pública, e ainda da Secretaria de Obras da Prefeitura.

Atraso
O início da construção das 30 novas casas sofreu atraso em função do cancelamento do contrato com a construtora que iria realizar as obras. O cancelamento aconteceu porque a empreiteira não estava cumprindo o processo licitatório estabelecido pela Cohab. “Na licitação constava ‘madeira de lei’, e já no fundamento, a obra apresentava falhas. E o que viria seriam unidades de madeira totalmente fora dos padrões estabelecidos pela Cohab e pelo prefeito Samir”, disse Isabel.
A presidente da Cohab, Maria Darci Motta Beck, cancelou a construção e providenciou uma nova licitação. Barra Velha conseguiu renovar o contrato de construção e passar as casas para alvenaria, visando manter o padrão do loteamento. No mesmo local ainda há a previsão de outras oito unidades, a serem construídas em seguida. Estas casas serão destinadas aos pescadores artesanais cadastrados pela Colônia de Pesca Z-4.
Nesta obra, a Fundação do Meio Ambiente de Barra Velha (Fundema) participará com a orientação e fornecimento de plantio de árvores frutíferas, conseguidas através de repasses de recursos gerados por multas. “Agora só falta a população que lá reside, tomar consciência de manter a área limpa, armazenando e descartando o lixo adequadamente, mantendo as ruas em bom uso”, destacou a diretora.
 

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você