26.1 C
Piçarras
terça-feira 16 de abril de 2024


Primavera seca

Ouça a Matéria

Os relâmpagos, raios, trovões e a chuva recepcionaram a estação das flores às 00h09 desta quinta-feira, 23. A data e o horário oficializaram a Primavera, que apesar de ter começado molhada, promete ser de tempo seco para Santa Catarina. O Laboratório de Climatologia da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e o setor de Meteorologia da Epagri/Ciram são os quem fazem a previsão. O fenômeno climático, La Niña, também deve ser sentido no Estado.
De acordo com a Epagri/Ciram, o indicativo é de uma primavera mais seca em Santa Catarina, marcada pela influência do fenômeno La Niña, com intensidade moderada a forte nos próximos três meses, atingindo o pico máximo no fim do ano. O “La Ninã” é o esfriamento das águas do Oceano Pacífico na área próxima à América do Sul e traz, para a região Sul, irregularidade na precipitação e temperaturas menores. “O fenômeno deve prevalecer até o início do próximo ano”, diz Sergey Alex de Araujo, coordenador do Laboratório de Climatologia da Univali.
Com isso, o próximo trimestre deve ser de chuva abaixo da média no Estado, com mais dias de sol e períodos prolongados de tempo firme e seco. Em períodos contínuos sem chuva, o solo fica bastante seco e, este fator aliado à baixa umidade do ar, favorece a ocorrência de focos de incêndio, principalmente em outubro. Em caso de uma possível queimada, o telefone dos Bombeiros Voluntários de Penha é 193 ou 3345.1001, contatos que funcionam 24h.
Segundo a meteorologista da Epagri/Criam, Gilsânia Cruz, vale ressaltar, que mesmo com uma previsão de pouca chuva, podem ocorrer eventos extremos como temporais com chuva forte, ventania e granizo. “É comum na estação, no caso deste ano, de forma mais atenuada”, finaliza.
Já com relação a temperatura, as massas de ar frio ainda devem chegar com frequência em outubro, mas já com intensidade fraca a moderada e com rápido deslocamento para o oceano, causando um declínio mais acentuado na serra catarinense, com geada isolada. Em novembro e dezembro, a tendência é de aquecimento, refletindo em temperaturas acima da média.
 

Foto por: Felipe Bieging | JC

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você