20 C
Piçarras
quarta-feira 17 de julho de 2024


Campanha Adoção Responsável mobiliza Comarca

Ouça a Matéria

Milhares de pais e mães no Brasil querem adotar uma criança. Milhares de crianças brasileiras estão em abrigos à espera de adoção. A equação final parece ser fácil ser resolvida: juntar os pais interessados às crianças e adolescentes disponíveis, garantindo um final feliz para a nova família. Na prática, porém, o assunto é muito mais complexo e delicado. A maioria dos pais está a procura de meninas brancas e com idade até 2 anos. Já a grande maioria das crianças à espera de adoção é de meninos negros com mais de cinco anos. A dificuldade é ainda mais agravada quando as estatísticas revelam que a adoção ilegal (sem os trâmites legais da Justiça) ainda é um caminho muito procurado por boa parte dos pais.
Para evitar que essa situação continue fazendo parte das estatísticas e para que a adoção seja feita por um caminho responsável e menos doloroso, o Juizado da Infância e Adolescência da Comarca de Balneário Piçarras lançou nesta quinta-feira, dia 17, uma Campanha em prol da cidadania e pela Adoção Responsável. O lançamento aconteceu no Salão do Juri, do Fórum da Comarca de Balneário Piçarras, com a presença de inúmeras autoridades judiciárias e convidados de diversos setores das comunidades locais de Piçarras e Penha. A psicóloga forense Marli Terezinha da Silva também explanou sobre a importância do vínculo na Adoção Responsável, comentando sobre casos e destacando a formatura da segunda turma de pais do curso para pretendente à adoção na Comarca.
A campanha encabeçada pela juíza Joana Ribeiro Zimmer tem o objetivo de chamar a atenção da sociedade para as condições de vida das cerca de 80 mil crianças e adolescentes que vivem em abrigos no País. A iniciativa da juíza é despertar o interesse da comunidade local e dos setores diretamente ligados na proteção dos direitos da Infância e da Juventude na região para levantar a bandeira da Adoção Responsável, que é de maneira legal, ou seja, por meio do Cadastro Único do Poder Judiciário (CUIDA). “Buscamos a garantia do direito do nasciturno (aquele que está sendo gerado), a garantia do direito das crianças e dos adolescentes residentes em Penha e Balneário Piçarras e da verdadeira cidadania”, destacou a juíza Joana Riberio Zimmer. “E essa cidadania se constrói diariamente, em pequenas ações de garantia dos direitos e com o reconhecimento do direito do outro, e isso começa quando este ‘outro’ ainda sequer nasceu e está sendo gerado no ventre de uma mulher”, destaca a juíza.
A intenção da campanha local é estimular diversos setores da sociedade a se mobilizarem sobre o tema, garantindo discussões e o cumprimento efetivo da lei 12.010/2009, mais conhecida como Lei Nacional de Adoção – Lei Cléber Mattos. “Precisamos desse envolvimento da sociedade como multiplicadores das informações da lei e como fiscalizadores do cumprimento dela”, destacou a juíza. Para ela, o próximo passo será dado pelos vários segmentos das comunidades presentes, culminando com o reencontro e apresentação dos trabalhos desenvolvidos no dia 25 de maio, às 15 horas, no Tribunal do Juri da Comarca, para as comemorações do Dia Nacional da Adoção.
 

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você