25 C
Piçarras
quinta-feira 29 de fevereiro de 2024


Águas de Penha diz que tem plano para não faltar água no verão e anuncia construção de reservatório

Ouça a Matéria

Em comunicado oficial remetido à imprensa, a concessionária Águas de Penha informou que um conjunto de medidas operacionais integra o planejamento de ações que busca atenuar, de forma preventiva, os efeitos do aumento do consumo de água tratada no verão em Penha. O plano busca amenizar transtornos durante a alta temporada, quando a cidade recebe milhares de visitantes.

“Pelo menos enquanto Penha não possuir o sistema de abastecimento próprio, que é a solução para os efeitos da alta demanda em janeiro e fevereiro”, pontua a gestora operacional da Águas de Penha, Fernanda Barreto. Entre as ações anunciadas estão a perfuração e ativação de quatro poços artesianos.

Uma destas obras é a perfuração do Poço Santa Clara 3, onde a concessionária realizou um estudo hidrogeológico da área para definir o lugar com possibilidade de encontrar água. O poço será perfurado em uma área da prefeitura, localizado na rua Sérgio Gentil Serpa.  Atualmente a concessionária aguarda o termo de cessão da Prefeitura para realizar a obra.

“É uma atribuição do Executivo Municipal o fornecimento do local adequando”, lembra Fernanda. Para agilizar o processo, toda a documentação foi providenciada pela Águas de Penha. Depois que conseguir o termo, a obra deve levar cerca de 60 dias para ficar pronta.

 A Concessionário detalhou ainda que também estão em estudo a reativação ou perfuração de poços nos bairros São Miguel, Morro do Ouro e no Parque Beto Carrero World. A gestora operacional da concessionária entende que o poço do Beto Carrero pode ajudar a resolver o problema em uma das regiões que mais sofre com desabastecimento. A direção do parque já indicou que irá permitir o uso do poço na temporada de verão.

RESERVATÓRIOS

A concessionária também informou que retomou a utilização do reservatório do Bairro Santa Lídia de 20 mil litros depois que ele passou por um trabalho de limpeza e manutenção. O bairro também ganhou um booster – bomba colocada na rede que tem como função aumentar a pressão e a vazão de água. A melhoria garantirá maior pressão na distribuição para as famílias da redondeza. 

As medidas envolvem ainda a troca de parte da rede de 300 milímetros na rua Nereu de Assis, na Praia da Armação, e a instalação de um equipamento de manobra no reservatório do Morro do Ouro.

NOVO RESERVATÓRIO DE ÁGUA

A construção de um reservatório com capacidade para armazenar 2 milhões de litros de água está sendo estudada pela concessionária. “Apesar de ser uma obrigação contratual da prefeitura, a concessionária está negociando a compra de um terreno que fica no bairro Mariscal para construir a estrutura, que tem previsão de entrar em funcionamento ainda este ano”, informou a nota oficial da empresa.

 

 “Todos os projetos da nova Estação de Tratamento de Água (ETA) já foram finalizados”

A empresa categorizou que a solução definitiva para o problema de desabastecimento em algumas regiões de Penha na alta temporada – em especial entre o Natal e Ano Novo – é a construção do sistema produtor próprio de água. “Todos os projetos da nova Estação de Tratamento de Água (ETA) já foram finalizados, mas, para que a obra avance, precisa-se da Licença Ambiental Prévia (LAP), e da indicação do terreno onde deve ser construída a estação, ambos de responsabilidade da Prefeitura de Penha”, afirmou.

 O projeto do sistema de abastecimento próprio prevê a captação no Rio Luiz Alves. A estrutura contará com poço para bombas submersíveis, gradeamento, caixa de areia e uma estação de recalque de água bruta (ERAB). O sistema também contará com uma adutora com diâmetro de 500 milímetros e aproximadamente 22 quilômetros de extensão. A água bruta será levada à Estação de Tratamento de Água (ETA) com capacidade para tratar até 325 litros por segundo a longo prazo. A ETA contará com dois reservatórios de 1 mil metros cúbicos, centro de desidratação de lodo e Estação de Recalque de Água Tratada (ERAT).

 

Construção de um reservatório de 2 milhões de litros de água

A concessionária Águas de Penha anunciou que vai adquirir um terreno para a construção de um reservatório de 2 milhões de litros de água, “mesmo sendo uma responsabilidade da Prefeitura de Penha”, afirmou em nota oficial. A concessionária antecipou recursos junto à holding AEGEA, controladora da Águas de Penha, a fim de que os compromissos firmados com a sociedade civil organizada, prefeitura e agência reguladora, em reunião realizada no início do ano, sejam cumpridos.

Carlos Roma Junior, presidente da Águas de Penha, explica que a compra do terreno, apesar de ser uma obrigação contratual do Executivo Municipal, foi feita com o objetivo de a melhorar ainda este ano a operação do sistema de abastecimento de água. “Tivemos que rever o projeto original de distribuição para atender algumas das solicitações da sociedade. Com isso, fizemos a compra do terreno acreditando no interesse do poder concedente em resolver o impasse criado no contrato de saneamento da cidade. Queremos atender as expectativas da população e turistas e vamos discutir, posteriormente, com a prefeitura e agencia reguladora a forma de ressarcimento destes valores.”

 A construção de um reservatório está prevista no contrato de concessão do saneamento básico no município, mas uma nova concepção precisou ser estudada para atender os atuais anseios da sociedade sem inviabilizar o projeto já feito. Faltava apenas a disponibilização da área por parte da prefeitura, o que não ocorreu. A nova estrutura vai ampliar a capacidade de armazenamento de água da cidade.   

Outras ações como ativação e perfuração de novos poços artesianos também estão em andamento, além da possibilidade de um convênio visando a colaboração operacional entre a concessionária e a Casan (empresa que hoje fornece água para Penha e Balneário Piçarras), discutido recentemente entre a diretoria das duas empresas. Os investimentos e ações da Águas de Penha servirão para amenizar os efeitos de períodos curtos de estiagem, pelo menos enquanto a cidade não possuir um sistema produtor próprio de água. “O reservatório não solucionará definitivamente o problema de desabastecimento no verão, mas ajudará a equilibrar o sistema de distribuição e atenderá demandas dos bairros mais afastados”, destaca Thaís Gallina, diretora executiva da concessionária.

 

 

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você