29.3 C
Piçarras
sexta-feira 1 de março de 2024


Prolongamento da Beira Mar Norte de Balneário Piçarras começa segunda-feira, 20

Ouça a Matéria

Foi confirmado para a próxima segunda-feira, 20, o início das obras de ampliação do setor Norte da Avenida José Temístocles de Macedo, a Beira Mar de Balneário Piçarras. A data foi anunciada pelo Governo Municipal nesta quarta-feira, 16, após reunião com a empresa vencedora do processo licitatório de concorrência pública, CR Artefatos de Cimento LTDA.

“Vamos acompanhar de perto o andamento das obras. Nosso objetivo é que ela esteja finalizada antes da próxima temporada de verão, auxiliando a mobilidade urbana no local e o acesso à praia” explicou o vice-prefeito, Flávio Tironi, que vem representando o prefeito Leonel José Martins em reuniões por conta da pandemia de Covid-19.

Os últimos detalhes da obra foram acertados em reunião no local dos trabalhos, entre profissionais do poder público e das empresas envolvidas. O custo é de R$ 6.339.099,10 e prevê drenagem pluvial com sistema de canaletas, pavimentação da via em paver, vias de uso específicas para pedestres e ciclistas com ciclofaixa, passeios com acessibilidade em ambos os lados, sendo do lado oeste com paver e do lado leste em deck de madeira com mobiliário urbano, passarelas, nova iluminação com fiação subterrânea e bolsões de estacionamento. Os recursos são do Fundo de Manutenção da Praia (FUMPRA) e financiamento via BRDE.

A extensão da obra é de aproximadamente 1,7 quilômetros, indo até a descida da Rua 3750. A obra será “fiscalizada pelo engenheiro do município, junto dos profissionais que realizaram o projeto e o licenciamento ambiental”, adiantou Tironi. O prazo de conclusão é de até nove meses, que pode ser alterado de acordo com o andamento das obras.

 “Vamos acompanhar de perto o andamento das obras. Nosso objetivo é que ela esteja finalizada antes da próxima temporada de verão, auxiliando a mobilidade urbana no local e o acesso à praia”, pontuou Flávio. A Prefeitura afirmou que o projeto vai garantir a proteção da restinga.

O estudo ambiental realizado pela Acquaplan Tecnologia e Consultoria Ambiental revelou que a obra auxiliará a proteção da restinga, estimulando sua função protetora da costa. “O modelo proposto garantirá a proteção e recuperação da restinga, através de uma delimitação física de vegetação com passarelas elevadas, além da remoção de espécies invasoras e reposição de mudas de restinga nativa nos trechos”, explicou o presidente da Fundação do Meio Ambiente, Marcos Zaleski.

De toda a área compreendida pelo projeto, 58,48% possui área livre de vegetação nativa, ou seja, já são estradas, trilhas ou calçadas. O restante é dividido em espécies nativa (5,38%), vegetação herbácea (35,68%) e vegetação exótica (0,46%). Como medida compensatória, será feita a Reposição Florestal e Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD).

 

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você