15 C
Piçarras
domingo 26 de maio de 2024


Comitiva de pescadores catarinenses vai a Brasília reivindicar seus direitos

Ouça a Matéria

Pescadoras e pescadores catarinenses foram à Brasília (DF), esta semana, para participarem de seis audiências dentro de temáticas que incidem diretamente no cotidiano pesqueiro. As audiências aconteceram no Congresso Nacional, Ministério da Pesca e Aquicultura e no Ministério do Meio Ambiente.

Os pescadores se mobilizaram com faixas, com camisa branca e a frase “Sou da Pesca”. “Acredito que os deputados entenderam a importância da pesca. Muitos deputados estão aderindo à nossa causa e nos ajudando, inclusive ministro da Pesca”, definiu o pescador, Joel Ladewig. A comitiva viajou de van até a capital federal.

“Acredito que os deputados entenderam a importância da pesca. Muitos deputados estão aderindo à nossa causa e nos ajudando, inclusive ministro da Pesca”

JOEL LADEWIG

Em pauta a Portaria 310 (critérios higiênico-sanitário), PREPS (rastreadores nas embarcações artesanais), INI 12 (rede de emalhe a 1 milha da costa), licenciamento na modalidade arrasto meia água (espada), além de participarem ativamente da reunião na Comissão da Agricultura na última quarta-feira, 20, em que estava em pauta o parecer contrário do deputado Raimundo Costa (Ba) ao PL 347/22 – que veda a pesca de arrasto em todo território nacional.

O parecer foi aprovado, situação que foi celebrada pela comitiva. “O projeto agora vai para a Comissão de Constituição e Justiça, a CCJ. Vencemos uma batalha, mas, não a guerra. Vamos seguir nos mobilizando contra esse projeto – que agora tem grandes chances de ser arquivado”, afirmou o presidente da Comissão da Pesca Artesanal, Luizinho Américo.

O projeto agora vai para a Comissão de Constituição e Justiça, a CCJ. Vencemos uma batalha, mas, não a guerra”

LUIZINHO AMÉRICO

LEIA: Mais de 500 pescadores artesanais se unem contra propostas governamentais

“Isso denota que se estivermos unidos vamos vencer muitas batalhas, existem muitos projetos tramitando que podem inviabilizar os nossos pescadores de tirar o seu sustento. Precisamos estar atentos”, encerrou Luizinho, que recentemente articulou audiência pública e reuniu cerca de 500 pescadores, em Penha.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você