24.1 C
Piçarras
terça-feira 16 de abril de 2024


Penha inaugura Sala Lilás para atendimento de vítimas de violência doméstica

A Sala Lilás foi construída numa parceria entre a Polícia Civil, Prefeitura de Penha e iniciativa privada para o atendimento de mulheres, crianças, adolescentes e idosos vítimas de violência

(FOTOS DE ALESON PADILHA)
Ouça a Matéria

A cidade de Penha conta agora com um espaço específico para o atendimento de mulheres, crianças, adolescentes e idosos vítimas de violência: a Sala Lilás. “Quem sabe o ciclo da violência sabe que esse lugar aqui vai gerar muitos benefícios, tudo isso atrelado a uma rede de proteção já formada na cidade”, comentou a coordenadora das Delegacias de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMIs) no Estado, a delegada de polícia Patrícia Zimmermann D´Ávila.

“Escolhemos Penha porque detectamos que aqui há uma necessidade, justamente por ser uma cidade turística e existir muita rotatividade de pessoas”

PATRÍCIA ZIMMERMANN

Construída na Delegacia da Polícia Civil, a cerimônia de abertura ocorreu na tarde desta quarta-feira, 30. Penha é a terceira cidade no estado a receber uma Sala Lilás. “Escolhemos Penha porque detectamos que aqui há uma necessidade, justamente por ser uma cidade turística e existir muita rotatividade de pessoas. Nossa intenção é avançar regionalmente com a implantação de novas Salas”, acrescentou a delegada.

A Sala Lilás foi construída numa parceria entre a Polícia Civil, Prefeitura de Penha e iniciativa privada. Nela, a policial civil, Sintia Carla Espindola de Miranda, é quem irá coordenador os atendimentos. “Temos o maior orgulho de ter uma Sala deste porte para amparar e poder apaziguar o sofrimento de toda mãe, de toda mulher, criança ou idoso”, frisou. No local, há dois espaços: uma brinquedoteca e também um espaço reservado aos depoimentos.

Futuramente, a Polícia Civil também enviará equipamento para gravação dos depoimentos, reforçando assim o trabalho apurativo e que chancelará quaisquer inquéritos que, porventura, venham a resultar em ações judiciais. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SC) também planeja criar o projeto OAB Por Elas, voltado ao auxílio nessas questões.

“Não achem que em Penha não tem violência. Há muitas mulheres sofrendo caladas e que agora possuem um lugar seguro para serem acolhidas. Nossa luta apenas começou”

JURACI ALEXANDRINO

Durante os discursos das autoridades, a vice-prefeita Maria Juraci Alexandrino pontuou que a Sala Lilás é um marco nas políticas públicas da cidade: “É uma responsabilidade muito grande abrir essa Sala Lilás. Um marco significativo na história de Penha, pois a violência doméstica é um mal que assola esse país”. “Não achem que em Penha não tem violência. Há muitas mulheres sofrendo caladas e que agora possuem um lugar seguro para serem acolhidas. Nossa luta apenas começou”, acrescentou.

O prefeito da cidade, Aquiles da Costa, por questões de saúde, não participou do ato. Mas, enviou um vídeo que foi apresentado aos presentes.  “Um avanço histórico nas questões do acolhimento e atendimento de mulheres, crianças, adolescentes e idosos vítimas de violência na cidade. Agora, o acompanhamento e atendimento será feito de forma humanizada e voltado ao resgate do bem-estar de cada pessoa”, frisou

A deputada estadual, Dirce Heiderscheidt, também participou do ato. Parlamentar que abraçou a causa ao lado da vice-prefeita e cobrou a instalação junto à Polícia Civil, enalteceu a união. “O sonho que sonhamos todos juntos se torna realidade. Hoje, esta Sala Lilás é o resultado deste sonho”, celebrou.

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você