19.1 C
Piçarras
sábado 25 de maio de 2024


Desassoreamento: Barra Velha protocola estudos para o licenciamento ambiental da ‘Laguna’

“Essa obra vai proporcionar mais qualidade de vida a nossa população e impulsionar o turismo na região”

Ouça a Matéria

A Fundação do Meio Ambiente de Barra Velha (Fundema) protocolou nesta terça-feira, 24, junto ao Instituto do Meio Ambiente (IMA) do Estado, os estudos para o licenciamento ambiental da obra de desassoreamento da Lagoa – também chamada por Laguna. O órgão estadual será o responsável por estudar o minucioso documento, que almeja a autorização para os trabalhos.

Lagoa de Barra Velha tem 6 quilômetros de extensão – Foto, Felipe Franco / JC

“Essa obra vai proporcionar mais qualidade de vida a nossa população e impulsionar o turismo na região”, disse o prefeito, Douglas Elias da Costa (PL) Para ele, o desassoreamento, além de resolver problemas de alagamentos nas imediações, possibilita um incremento de atividades na região da lagoa, que inclui disciplinar a ocupação sustentável ao entorno, e a instalação de equipamentos turísticos, como marinas.

LEIA TAMBÉM:
Trabalho revela importância da Lagoa para história de Barra Velha

O presidente da Fundema, Giovanni Tomaselli Guesser, enfatizou a relevância desse procedimento, em especial para diminuir a matéria orgânica no leito, melhorando a vazão e com isso a renovação da água, destacando que o licenciamento ambiental era visto como um obstáculo, porém agora estamos próximos em busca da autorização para realizar os serviços. Para ele, a retirada do material sedimentado também contribuirá para prevenir inundações.

Os estuados foram coordenados Fundema, que contratou a empresa Maurício Torrontegy Consultoria e Negócios, de Balneário Camboriú, para realizar o serviço. O valor aplicado nesta etapa foi de R$ 419.800,00.

A Laguna de Barra Velha, com 6 quilômetros de extensão, é um local ideal para esportes náuticos, oferecendo beleza natural, dunas de areia e oportunidades de pesca. “Estima-se que, em breve, as licenças emitidas pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA) permitirão o início do processo de licitação para as obras de desassoreamento, abrindo caminho para a revitalização deste importante recurso ambiental”, pontuou o Governo em nota oficial.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você