24 C
Piçarras
sábado 13 de abril de 2024


“Casa de Idosos Lar Dona Zofia” será inaugurada dia 16 de março

Ouça a Matéria

No próximo dia 16 de março a Associação Casa de Idosos de Balneário Piçarras realiza a cerimônia de inauguração da “Casa de Idosos Lar Dona Zofia”. Construída na Rua Abilio Manoel de Borba, 1.881, no bairro de Morretes, em Balneário Piçarras, o local será revelado com um chá de panela às 16h. O grupo ainda busca a solução para o impasse sobre a ligação de energia.

“Nossas instalações requerem uma conexão de energia no sistema trifásico e a CELESC afirma não possuir estrutura para permitir a ligação. Solicitaram para que pagássemos para implantação de um transformador adicional, cujo valor cobrado ainda está fora do nosso alcance”, pontua o presidente da Associação, Gilberto Cardoso. Na última semana, o prefeito da cidade, Tiago Baltt (MDB), esteve no local e prometeu interceder na questão.

Casa de Idosos terá espaço para receber cerca de 30 idosos – Foto, Felipe Franco / JC

Segundo Gilberto, o valor do transformador está na casa dos R$ 22 mil. “Nos ofertaram um parcelamento em até quatro vezes, uma soma sem condições de ser arcada pela Associação – que por sua vez é cliente da Celesc”, complementa.

A Associação Casa de Idosos de Balneário Piçarras está sendo construída em um terreno de 3.300 metros quadrados, doado pela Associação Terapêutica Sítio Caminho Novo – que fica aos fundos dessa área. “Estamos concretizando um sonho da Dona Zófia, que era para um local de cuidados voltados à melhor idade”, detalha Gilberto Cardoso. A Casa de Idosos terá espaço para receber cerca de 30 idosos, mas, iniciará as atividades com 20.

Gilberto pontua o acolhimento dos idosos será realizado por uma ampla equipe técnica e que, por conta disso, haverá uma mensalidade para os interesses em ocuparem um dos 14 quartos do prédio – com capacidade para até três pessoas. “Há muitos custos que incidem sobre o trabalho, porém, estamos firmando parcerias com esferas governamentais na tentativa de baixar os custos mensais’”, afirma.

R$ 2 milhões foram investidos na construção – Foto, Felipe Franco / JC

A construção da Casa foi possível graças à doação de 10% da herança da enfermeira Maria Zófia Schubert. Ela deixou uma residência, na quadra do mar, na intenção da criação de uma casa voltada aos cuidados da melhor idade. A residência foi vendida e todo valor está sendo aplicado na obra: R$ 1.750.000,00. Outros R$ 250 mil foram doados por membros da sociedade, cruciais para o término da obra.

PROCESSO DE SELEÇÃO
A Associação já iniciou o processo de entrevistas de pessoas interessadas em acolhimento na Casa de Idosos “Lar Dona Zofia”.  Para informações adicionais, é possível fazer contato pelo WhatsApp (47) 9 9999.2589 e agendar uma entrevista com a Assistente Social. A profissional prestará as informações necessárias. Neste primeiro momento, local e o modelo de tratamento serão apresentados aos interessados.

“Lembrando desde já que a Associação Casa de Idosos de Balneário Piçarras, através de sua Equipe Tecnica vai priorizar neste primeiro momento, somente vagas para pessoas que tenham vínculo com a nossa cidade, através de moradia fixa, ou por meio de familiares de primeiro grau também responsáveis”, pontua a Associação, em nota oficial.

Para começar um trabalho sério e com um atendimento dentro das perspectivas das pessoas interessadas, é importante salientar que serão acolhidas somente pessoas com o grau I de necessidade, com idade entre 60 e 75 anos. Tudo isto visando um convívio entre equipe, voluntários, familiares e a própria pessoa idosa.

DONA ZÓFIA

Certamente, muitos são os que têm alguma história especial para contar dessa que foi uma das personagens marcantes da vida cotidiana de Balneário Piçarras. Maria Zófia Schubert, ou simplesmente Dona Sofia, dona de uma voz suave e um jeito sério, foi uma das grandes enfermeiras, parteiras, voluntárias e amigas que a comunidade local pode conhecer. Dona Sofia morreu no dia 5 de janeiro de 2013, à noite, no Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí.

A morte da enfermeira, porém, não apaga as muitas histórias colecionadas. Muitos lembram dos curativos feitos, dos filhos que vieram ao mundo pelas mãos carinhosas da parteira, idosos que receberam um alento na dor e na solidão com suas visitas rotineiras, jovens que aprenderam o que é a dignidade e o trabalho em prol dos mais necessitados…Sempre com uma palavra de conforto.

Ela também foi uma das fundadoras da faculdade de enfermagem da UNIVALI – sendo a primeira coordenadora do curso. Na vida, dedicou-se durante anos ao voluntariado.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você