21 C
Piçarras
quinta-feira 18 de abril de 2024


Ministério faz visita técnica a obras da boca da barra

Ouça a Matéria

A analista de Infraestrutura do Departamento de Obras Hídricas do Ministério da Integração Nacional, a engenheira civil Andréa Regina Fontana, vistoriou pela terceira vez na quinta-feira, 24, a obra de fixação e desassoreamento do canal da barra do Rio Itapocu, executada em parceria entre o Governo Federal e a Prefeitura de Barra Velha. A visita técnica da engenheira teve por objetivo avaliar as condições de construção e dimensões do primeiro mole da obra, de 249 metros.
Segundo o advogado Eurides dos Santos, secretário de Planejamento e Negócios Jurídicos de Barra Velha, Andréa pôde conferir a resistência da obra do primeiro molhe já executado diante das ressacas que têm acontecido na península e na região da foz. Já o prefeito Samir Mattar (PMDB), que acompanhou a vistoria, destacou que Andréa pôde conferir que o que foi determinado pelo convênio entre o Governo Federal e a Prefeitura na primeira etapa da obra foi executado com êxito.
A construção dos moles é o passo inicial para a fixação do canal da barra que permitirá maior fluxo de vazão de água do Itapocú. Para poder iniciar a dragagem do canal, será preciso iniciar em grande parte a construção do segundo mole.
De acordo com a Prefeitura Municipal, as obras iriam a retomar em julho, dependendo das condições climáticas. As sucessivas ressacas que atingiram a costa durante maio e junho interditaram o acesso para a boca da barra e a secretaria de Obra foi forçada a trabalhar na reconstrução da Rua Armando Petrelli que leva até a obra. O principal acesso à foz, já foi reconstruído pela equipe da Secretaria de Obras, mas pode sofrer novas interrupções em seu trajeto caso o fenômeno da maré se repita novamente.
Samir e Eurides acreditam que com 50% do segundo molhe construído, a dragagem, contratada pelo Ministério da Pesca, já possa ter início. Acompanharam a vistoria o secretário de Turismo, Douglas Costa, e a presidente da Fundação Municipal de Turismo, Conceição Freitas, além de Eurico dos Santos, secretário de Agricultura e Pesca.
A retomada da segunda etapa está sendo articulada pelo prefeito Samir juntamente com o engenheiro Wendel Carneiro de Araujo, da Secretaria Nacional de Defesa Civil em Brasília. A empresa responsável pelo serviço será a mesma que executou a primeira etapa – a Ballt Terraplenagem, de Balneário Piçarras.
Andréia Fontana novamente preparou um amplo relatório fotográfico sobre o material usado na construção do molhe, examinando toda a extensão e também conferindo a situação das margens do Itapocu, exatamente no ponto onde inicia a desembocadura, que atualmente, devido à ação dos ventos, está dois quilômetros para cima do ponto original.
Esta situação de assoreamento ocasiona os transbordamentos da lagoa e alagamentos diversos tanto em Barra Velha quanto em Araquari. O projeto total prevê a colocação de 44 mil m³ de pedras nos dois molhes. O segundo deles receberá em torno de 22 mil m³ do minério cada um.

Foto por: Gaspar Toscan/Arquivo

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você