24 C
Piçarras
quarta-feira 24 de abril de 2024


Prefeitura de BV denuncia ex-prefeito por suposta fraude

Ouça a Matéria

O ex-prefeito do município, Valter Marino Zimmermann, mais outros dois empresários locais foram denunciados pela atual administração da Prefeitura por fraudes em licitações públicas nos anos 2007 e 2008. O levantamento das supostas irregularidades chegou através da empresa Martinelli Auditores, contratada pela Prefeitura, que alega que membros de uma mesma família teriam participado simultaneamente do mesmo concurso de licitação, caracterizando um processo de “cartas marcadas” para benefício do grupo.
A denúncia foi formalizada através de uma representação criminal e uma ação civil pública por improbidade administrativa no Fórum da comarca.
Segundo a auditoria, a empresa Kath & Cia Ltda e a empresa Rosmeri Kath ME, de propriedade de Nelson Kath e Rosmeri Kath, respectivamente pai e filha, foram habilitadas a participar de uma licitação para a compra de materiais elétricos e de construção para serviços de manutenção das instalações da Prefeitura.
De acordo com o secretário de Negócios Jurídicos Eurides dos Santos, as empresas da mesma família sabiam que não haveria um terceiro concorrente e mesmo assim, participaram do processo licitatório, e teria havido intenção declarada por parte de Valter em privilegiar as empresas.
Consultado pelo JC, o porta-voz das duas empresas denunciadas, que pediu para não ser identificado, considerou que as denúncias não possuem fundamento e afirmou que dentro do seu conhecimento houve mais um concorrente nas licitações mencionadas. “As empresas não foram notificadas sobre o processo criminal. As alegações são infundadas. Não temos nada mais a declarar”, encerrou o porta-voz.
Valter Zimmermann responde processo por pagar com dinheiro público a iluminação de uma placa de publicidade particular da mesma empresa, segundo informou Eurides. As empresas receberam da Prefeitura R$ 76.232,70. Para a administração atual, houve evidente prejuízo aos cofres públicos. Segundo o governo municipal, o caso teria agravantes pelo fato do próprio Valter ter assinado documentos do processo licitatório que eram para ser assinados pelo secretário de Finanças da época.
 

Foto por: Felipe Bieging

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você