18.1 C
Piçarras
segunda-feira 27 de maio de 2024


Vereadores aprovam contas de Valter de 2008

Ouça a Matéria

Com sete votos a favor e dois contra, a Câmara Municipal de Vereadores aprovou as contas correspondentes a 2008 do ex-prefeito Valter Marino Zimmermann (PSD). Apesar da recomendação de rejeição do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE) dessa e de mais de cinco vezes consecutivas, somente os vereadores Sandra Ronchi do PP e Carlos Alberto da Silva, o Tinho, do PR, votaram a favor da rejeição.
A decisão permite ao ex-prefeito ser novamente candidato em 2012, reafirmando seu peso político no município. Valter foi o único candidato barravelhense a ocupar duas vezes consecutivas o cargo de titular do Poder Executivo municipal.
Vários vereadores defenderam a postura protecionista por dúvidas ou falta de confiança nos relatórios do TCE.
O legislador Narciso Vieira Junior (PSD) reconheceu que o ex-prefeito poderia ter errado nas contas, porém alegou que o governo de Zimmermann foi o que trouxe maior crescimento ao município em infraestrutura. “Valter nunca mediu esforços para fazer o bem pela população”, disse Narciso.
O vereador Jair Irineu Bernardo questionou a competência do TCE depois que o órgão aprovou aposentadorias fraudadas que foram canceladas recentemente pela Justiça. “Posso ter mil e um motivos para rejeitar as contas, mas não vou fazer. O tribunal não é esse poço todo de responsabilidade”, afirmou o parlamentar e colocou em dúvida a existência de uma armação política para desprestigiar Zimmermann. “Não foi a equipe dele que enviou a documentação para o TCE, mas a equipe do Samir – atual ex-prefeito. Será que não foi armado de propósito?”, comentou.
Para fundamentar a decisão de rejeição, o vereador Tinho considerou válidos os motivos do Tribunal. “Não foi a primeira rejeição das contas de Valter. De acordo com o TCE somente em 2008 houve R$ 1.727.754,57 de recursos fora do orçamento. As obras tem que ser feitas com responsabilidade”, encerrou o parlamentar.
Valter foi vereador e prefeito de Barra Velha por duas ocasiões (2001-2004 e 2005-2008). Presidiu a AMVALI em 2005. Durante sua primeira gestão como Prefeito, Barra Velha começou a receber investimentos no setor industrial, diversificando a economia local.
Durante a administração de Zimmermann as contas da prefeitura fecharam com déficit orçamentário nos anos 2002, 2003, 2004, e 2005. Já a maior dívida acumulada pelo município aconteceu em 2005, quando R$ 4,4 milhões não tinham verbas específicas para cobrir as despesas.
Nos anos 2003, 2005, e 2006 não foram destinados para a área de Educação os recursos obrigatórios determinados pela constituição federal, o que provocou a rejeição das contas. Muitos dos repasses do Governo Federal que iriam ser aplicados no Ensino Fundamental para salários de professores e trabalhadores acabaram sendo utilizados para financiar a construção da nova escola Antônia Gasino de Freitas. Já a Escola Municipal Prefeito Bernardo Aguiar, no bairro Itajuba, motivou ao Tribunal de Contas a cobrança de multas contra Valter por irregularidades financeiras em licitação e tomada de preços.
Entre 2003 e 2007, Zimmermann não repassou o 60% do recurso da Educação ao pessoal do Magistério, o que motivou novamente a rejeição do TCE.
 

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você