19.1 C
Piçarras
sábado 25 de maio de 2024


Câmara de Vereadores aprova moção de repúdio ao prefeito de Penha

Segundo Ferrão, autor da moção, Aquiles fez “menções desnecessárias e machistas em desfavor de uma mulher”

Ouça a Matéria

A Câmara de Vereadores de Penha aprovou, nesta segunda-feira, 16, moção de repúdio ao prefeito Aquiles da Costa (MDB). A moção repudia falas proferidas pelo chefe do Executivo em “desfavor da senhora Odete Vailatti”, esposa do vereador autor da moção, em um grupo de aplicativo de mensagens. A proposição foi aprovada por cinco votos a quatro, em votação marcada por confusão com a presença da Polícia Militar.

Conforme o texto da moção, de autoria de Luiz Fernando Vailatti (Podemos), o Ferrão, Aquiles fez “menções desnecessárias e machistas em desfavor de uma mulher” durante uma discussão decorrente da votação que arquivou projeto de lei que autorizaria o Governo a permutar uma área pública em Armação por outro no bairro de Gravatá – para uma praça.

LEIA:
Câmara de Penha arquiva projeto para permuta de terreno no Gravatá

“Para infelicidade do Sr. Prefeito, ao querer insinuar, eventual mau humor deste Vereador, fez menções desnecessárias e machistas em desfavor de uma mulher. Infelizmente, ainda nos dias atuais se vê homens em cargos de poderes utilizando de seu poder – transitório, cabe destacar – para proferir falas de forma desleal e desonrada contra mulheres que nada agiram para isto”, lamentou Ferrão.

Conforme apurou a reportagem, Aquiles teria falado em um popular grupo de WhatsApp que o mau humor de Ferrão estaria relacionado ao fato de sua esposa supostamente “dormir de calça jeans”.

“Um ataque pessoal a uma mulher deve e precisa ser repudiado”

LUIZ FERNANDO VAILATTI
FOTO, VICTOR MIRANDA/CVP

Foram favoráveis à moção de repúdio, além do proponente, os vereadores Célio Francisco (PSDB), Everaldo Dal Pozzo (PL), o Italiano, Luiz Eduardo Bueno (Cidadania) e Sebastião Reis Junior (União).  Votaram contra a moção os parlamentares Maurício da Costa (MDB), o Lito, Maurício Brockveld (MDB), Antônio Cordeiro Filho (MDB) e Mário Moser (União), o Marquett.  O vereador Roberto Leite Junior (Cidadania), por motivos pessoais, não participou da sessão.

O vereador – que também é presidente da Procuradoria da Mulher na Câmara, afirmou que “um ataque pessoal a uma mulher deve e precisa ser repudiado, destaco que não somente pelo fato de ser da minha família – pois, em outras oportunidades, esta Casa já se manifestou neste sentido – mas sim, porque a política não deve e não pode ser palco para falas com conotação sexual contra mulheres”.

Aquiles foi procurado para manifestar opinião sobre a moção, mas ainda não retornou.

MOÇÕES DE APLAUSO

O plenário também aprovou por unanimidade duas moções de aplauso durante a 37ª Reunião Ordinária.  A primeira delas foi a de nº 19/2023, de autoria do vereador Luiz Eduardo Bueno que prestou homenagem à professora Iolanda de Souza Amaro pelos relevantes serviços prestados ao município, atuando há 35 anos na educação.

Em seguida, o plenário aprovou a moção de aplauso ao senhor Lucélio Laércio Mateus, que atuou por 22 anos como motorista da Secretaria Municipal de Saúde, até sua aposentadoria. A moção de aplauso nº 20/2023 é de autoria do presidente da casa, Adriano de Souza.

CASA DA MEMÓRIA É OFICIALIZADA

Por unanimidade também foi aprovado o projeto de lei ordinária nº 21/2021, do Executivo, que trata da denominação oficial da Casa da Memória Dico do Amâncio. A denominação é uma homenagem ao senhor Francisco Amâncio da Costa, conhecido como Dico do Amâncio, Dico da Ziza ou Dico da Colônia.

LEIA
Cultura ‘caça’ registros históricos para incrementar a Casa da Memória Dico do Amâncio

Nascido em 11 de julho de 1934, cresceu e viveu sua vida toda em Armação, tornando-se um dos maiores pescadores artesanais do local e conhecido também como o “pescador dos versos”, tendo publicado um livro com histórias de pescarias e seus velhos amigos.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você