25.4 C
Piçarras
domingo 25 de fevereiro de 2024


Duda Bueno será o terceiro a ser ouvido na CPI da Educação

Ouça a Matéria

O suplente de vereador e ex-secretário de Penha, Eduardo Bueno, será o terceiro nome ouvido pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura a gestão de recursos públicos na Secretaria Municipal de Educação. Seu depoimento está marcado para dia 16, às 17h30, no plenário da Câmara de Vereadores.

A convocação de Duda, como é conhecido, ocorre diante de sua direta participação na gestão do prefeito Aquiles da Costa (MDB). Desde janeiro de 2017, ele ocupou os cargos de Controlador, secretário de Governo, Administração e Fazenda. Desligou-se do Executivo em março de 2023, após divergências com o gestor.

Camila foi ouvida no último dia 5 – Foto, Victor Miranda / CVP

Na última segunda-feira, 5, a atual secretária de Administração e Finanças de Penha, Camila Luchtenberg, foi ouvida pelos membros da CPI. Ela apresentou uma série de documentos que foram solicitados pela comissão parlamentar de inquérito. A atual secretária de Educação, Thyrciane Santana, foi a primeira ser ouvida.         

Presidida pelo vereador Luiz Fernando Vailatti (Podemos), o Ferrão, sob a relatoria do vereador Everaldo Dal Pozzo (PL), o Italiano, e tendo como membros os vereadores Célio Francisco (PSDB), Mário Moser (União), o Marquett, e Maurício Brockveld (MDB), a CPI apura o destino e utilização de verbas destinadas à Educação, contratações, demandas das unidades escolares, eventual desvio de servidores, análise de contratos e convênios, sobretudo no período em que a vice-prefeita, Maria Juraci Alexandrino (MDB), esteve no comando da secretaria, até o início do ano passado.

Instalada no dia 16 de outubro, a comissão solicitou prorrogação dos trabalhos por mais 90 dias, considerando-se a quantidade de documentos a serem analisados e também pessoas a serem ouvidas.  Os depoimentos tomados pela CPI são todos gravados em vídeo e registrados em ata.

Desde o início da CPI, Juraci disse defender os trabalhos, mas que vê conotação política em um período já pré-eleitoral. “Mas faço um alerta: não subestimem o povo! A cidade está atenta e sabe que não se trata de investigar gestão, muito menos preocupação com a Educação; a motivação é a eleição! Os mesmos de sempre, com a estratégia já conhecida de tentar destruir reputações”, disse.

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você