19.4 C
Piçarras
segunda-feira 22 de abril de 2024


Barra Velha confirma a segunda morte por dengue

A paciente, uma idosa de 83 anos estava acamada e já possuía outras comorbidades. Infelizmente, com a dengue o quadro se agravou, levando-a ao óbito”

Ouça a Matéria

A Secretaria de Saúde e Saneamento da Prefeitura de Barra Velha confirmou uma segunda morte por dengue no município. Uma idosa, de 83 anos, teve o óbito pela doença confirmado após exames complementares – que atestaram a doença. Ela faleceu no mês passado, dia 14.

A paciente, uma idosa de 83 anos estava acamada e já possuía outras comorbidades. Infelizmente, com a dengue o quadro se agravou, levando-a ao óbito”, explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica municipal, Elaine Rosa. Ela morava no bairro São Cristóvão.

BOLETIM DA DENGUE

Nas últimas duas semanas foram confirmados em média quatro casos positivos por dia. Os dados são do Boletim da Dengue, publicado nesta sexta-feira, 14. Ele revela que a cidade já registrou 945 casos da doença este ano.

“Se considerarmos o período transcorrido entre os últimos relatórios, ainda podemos dizer que a situação segue sob controle, mas isso não significa que o trabalho deve parar. Os cuidados com a dengue continuam”, destaca Elaine.

Ainda de acordo com o relatório, do dia 1º de janeiro até dia 14 de junho, Barra Velha localizou com 146 focos do Aedes aegypti. Desses focos, a maioria foi identificada no bairro Centro, São Cristóvão, Itajuba e Vila Nova. Já dos 945 casos positivos atendidos pela rede municipal, no mesmo período, 455 são moradores do bairro São Cristóvão, 191 do Centro e 110 residem no Jardim Icaraí.

FISCALIZAÇÃO

Nas ruas, permanece o serviço de fiscalização. O agente de endemia Guilherme da Fonseca está na função há dois anos e conta como é sua rotina: “Nossa principal atividade são as inspeções domiciliares, com ênfase em locais com focos do Aedes Aegypti e nas casas de pacientes contaminados, também fazemos a vistoria das armadilhas com larvas do mosquito”.

Segundo Guilherme o serviço ainda inclui tarefas importantes como o atendimento a denúncias de focos, o reconhecimento geográfico municipal e a aplicação de inseticida nas áreas infestadas.

DENUNCIE

Denúncias de focos (locais com a presença de larvas ou do mosquito adulto) e prováveis criadouros (locais com acúmulo de água parada e limpa com potencial para se tornar um foco) podem ser feitas pelo por WhatsApp no número (47) 9 9638-1879.

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

Desde abril, a cidade está em situação de emergência em saúde pública em razão da infestação pelo mosquito Aedes aegypti. O documento foi assinado pelo prefeito quando a cidade tinha um quadro de quase cem casos de dengue, permitindo que o poder público procedesse com ações emergenciais na tentativa de controle do mosquito.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você