24 C
Piçarras
quarta-feira 24 de abril de 2024


Vacina contra a gripe está liberada para toda a população acima de seis meses de idade

A liberação da dose para toda a população de Santa Catarina foi pactuada com os municípios catarinenses

Ouça a Matéria

Devido ao aumento do número de hospitalizações por gripe em Santa Catarina, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) decidiu pela liberação da vacina contra a doença para toda a população catarinense acima de seis meses de idade. Com a ampliação do público, não é mais preciso estar em um dos grupos prioritários para ser vacinado, basta procurar uma Unidade Básica de Saúde para ser vacinado.

A liberação da dose para toda a população de Santa Catarina foi pactuada com os municípios catarinenses, por meio do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems). “Neste período de início da sazonalidade dos vírus respiratórios, superlotação nas emergências e leitos de internação, decidimos, em caráter excepcional, pela ampliação da população contemplada na Campanha de Vacinação contra a influenza, a fim de proteger o maior número de catarinenses da doença”, destaca a Secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto.

LEIA TAMBÉM: É falso que as vacinas contra a gripe causam câncer ou outras doenças

Mesmo com a ampliação do público-alvo, a gerente de doenças infecciosas agudas e imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC), Arieli Schiessl Fialho, esclarece que é de extrema importância que aquelas pessoas que fazem parte de um dos grupos prioritários, que são as pessoas mais vulneráveis e que correm risco de evoluir para formas graves da doença, garantam a dose da vacina.

“A vacina é ofertada primeiramente para essas pessoas como idosos, crianças, gestantes, porque as chances de elas serem hospitalizadas e até mesmo morrerem em decorrência da gripe são bem maiores do que para o restante da população, que normalmente se recupera em alguns dias, sem grande prejuízo à saúde”, explica a gerente de imunização.

A vacina contra a gripe oferecida na rede pública de saúde é gratuita e protege contra três subtipos do vírus influenza: H1N1, H3N2 e influenza B, que são os que mais circulam. Ela pode ser aplicada junto com outras vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, inclusive a da Covid-19.

INFLUENZA EM SANTA CATARINA

De acordo com o último boletim epidemiológico da influenza divulgado pela DIVE, este ano foram confirmados 245 casos de internação pela doença no estado. Destes, 12 resultaram em morte, sendo que a maior parte foi em pessoas mais vulneráveis como crianças (3 casos) e idosos com 60 anos ou mais (5 casos).

A gripe é uma infecção viral, bastante transmissível, que afeta o sistema respiratório. Pessoas infectadas com o vírus influenza podem ter desde sintomas leves a sintomas graves, que necessitam de internação e podem levar à morte.

Os sintomas mais comuns são febre, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse. Pessoas mais vulneráveis, especialmente aquelas com doenças crônicas, idosos, crianças, podem desenvolver quadros de pneumonia, sinusite, otite e desidratação.

A vacinação é uma das medidas mais eficazes para prevenir o agravamento do quadro, evitando hospitalizações e mortes. Além da vacinação, outras medidas devem ser adotadas para reduzir a transmissão do vírus

CUIDADOS BÁSICOS

– Lavar as mãos com frequência;

– Utilizar lenço descartável ou o antebraço ao tossir ou espirrar;

– Evitar tocar olhos, nariz e boca;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

– Manter os ambientes bem ventilados;

– Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;

– Evitar sair de casa em caso de sintomas respiratórios;

– Evitar aglomerações e ambientes fechados;

– Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você