18.2 C
Piçarras
segunda-feira 27 de maio de 2024


Luiz Alves monitora pacientes após casos de Febre Oropouche em Botuverá

Ouça a Matéria

A Secretaria de Saúde de Luiz Alves emitiu nota oficial nesta sexta-feira, 26, informando que o Estado está irá realizar testes em amostras em pacientes luizalvenses para averiguação de possíveis casos da Febre Oropouche – causada pelo maruim. A decisão foi tomada diante da confirmação de três casos da doença na cidade de Botuverá.

“A Secretaria de Saúde de Luiz Alves está monitorando a situação e a Secretaria de Estado da Saúde irá realizar testes em amostras de pacientes de Luiz Alves, para averiguação de possíveis casos confirmados”, confirma a nota oficial publicada por Luiz Alves. A doença tem um quadro semelhante à infecção por dengue e Chikungunya.

Em Botuverá, os casos apresentaram sintomas entre os dias 10 e 15 de abril. Após a coleta de amostras que mostraram não se tratar de dengue, foram encaminhadas amostras para diagnóstico de Oropouche. As pessoas têm entre 18 e 40 anos e não há histórico de deslocamento para fora do Estado.

Os sintomas da Febre Oropouche são dor de cabeça, dor muscular, dor nas articulações, náusea e diarreia. Não existe tratamento específico. Os pacientes devem permanecer em repouso, com tratamento sintomático e acompanhamento da rede municipal de saúde – que deve ser procurada com o surgimento dos sintomas.

Conforme o Ministério da Saúde, a Febre do Oropouche (FO) é uma doença causada por um arbovírus e a transmissão é feita principalmente por mosquitos, sendo o principal o Culicoides paraensis, conhecido como maruim ou mosquito-pólvora, embora outros vetores tenham sido envolvidos na transmissão.

LUIZ ALVES TESTA “CONTROLADOR BIOLÓGICO DO MARUIM”
A Prefeitura de Luiz Alves iniciou, dia 18, a etapa de testes de validação da aplicação do produto “Controlador Biológico do Maruim” com aplicação através meio de drones. A cidade, que se encontra em situação de emergência diante da infestação do inseto, vem aplicando o produto em regiões controladas como forma de avaliar a eficácia do produto.

“Iniciamos uma etapa importante para buscar soluções para o problema do maruim em nossa cidade, com pesquisa, inovação e tecnologia. Esse é primeiro teste de validação da aplicação do produto com drone. Nossa equipe está realizando essa pulverização em escolas e clubes do município, onde há maior concentração de pessoas”, detalhou o prefeito, Marcos Pedro Veber (PSD)

O produto é o mesmo desenvolvido no Consórcio Intermunicipal de Gestão Pública do Vale do Itapocu (CIGAMVALI), do qual o município fazia parte. “A Prefeitura contratou os pesquisadores que desenvolveram o produto no consórcio de forma independente e estamos testando dosagens e formas de aplicação para verificar os resultados e validar a eficácia da aplicação”, reforçou o prefeito, categorizando que os testes se restringem às proximidades de escolas, clubes e locais de uso comum.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você