21.1 C
Piçarras
quinta-feira 23 de maio de 2024


Bal. Piçarras declara situação de emergência

Ouça a Matéria

O prefeito de Balneário Piçarras, Umberto Luiz Teixeira (PP), declarou situação de emergência em virtude dos alagamentos provocados pelas chuvas de domingo, 6, para segunda-feira, 7.O documento foi assinado no dia 7 e enviado à Defesa Civil Estadual e Nacional, com o intuito de buscar recursos para trabalhar na solução da questão. Mais de mil pessoas foram afetadas diretamente pelas cheias das ruas.
De acordo com um relatório elaborado pela Defesa Civil Municipal, todos os bairros de Balneário Piçarras apresentaram alagamentos devido às fortes chuvas. “Foram alagamentos causados pelo grande volume de chuva e a falta de vazão. Foi muita água em pouco tempo”, salienta o secretário executivo da Defesa Civil, Paulo Roberto Batista. Ao todo, 60 ruas foram inundadas pelo não escoamento das águas.
“É bom frisar que os alagamentos foram causados pela chuva e não pelas águas do rio”, afirma Batista. De acordo com o documento, estima-se que 1.140 pessoas foram afetadas pelos alagamentos, que atingiu as ruas da Zona Rural e Urbana, invadindo causas e motivando o deslocamento de pessoas. O Jornal do Comércio registrou casas alagadas nos bairros Nossa Senhora da Paz e Itacolomi.
O decreto de situação de emergência tem validade de 90 dias e auxilia diretamente o município a realizar ações de trabalho – exclusivas para sanar o problema com alagamentos – com maior rapidez. Além disso, serve para que os moradores atingidos pelos alagamentos possam requerer o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) futuramente

Penha também registrou Situação de Emergência

Em Penha a situação foi semelhante. O prefeito, Evandro Eredes dos Navegantes (PSDB), também decretou situação de emergência devido aos alagamentos, contudo, a Defesa Civil Municipal apresentou um relatório de maior proporção. Segundo o coordenador do órgão, Johnny Coelho, cerca de 600 residências foram atingidas, principalmente no bairro de Armação.
Johnny afirmou que todos os bairros foram atingidos e em vários lugares a água chegou a um metro de altura. “Tivemos pelo menos 90 pessoas retiradas das casas momentaneamente, sendo que foram alojadas em casas de parentes ou amigos”, lembra o coordenador. Cerca de duas mil pessoas foram atingidas pelos alagamentos. O Governo acredita que os estragos em vias públicas e tubulação atinjam R$ 600 mil.

 

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você