16.7 C
Piçarras
quarta-feira 17 de julho de 2024


Calçadas ainda não concluídas na Av. Beira-Mar

Ouça a Matéria

A obra de pavimentação da Avenida Beira-Mar entre o Centro e o bairro Tabuleiro, aguarda há três semanas a finalização da calçada em toda sua extensão. Apesar do pavimento ter sido colocado ainda não há novidades sobre uma previsão para a finalização da calçada, que não permite o trânsito a pé.
Muito barro, entulho e pedras soltas impedem o trânsito de idosos e o público no geral. Depois de uma temporada de verão com poucos turistas, a falta de conclusão de obras deixa moradores e comerciantes ainda mais inquietos diante da falta de obras no local,um dos principais cartões postais da cidade.
O Jornal do Comércio entrou em contato com o Secretário de Obras, Lurival Matias Francisco, que tinha dito semanas atrás que a finalização da beira-mar estaria pronta para o carnaval. “Ainda estamos esperando. Não temos previsão de data para finalizar. A empresa de pavimentação ainda está terminando as bocas-de-lobo”, informou Lourival.
Já o procurador jurídico e Secretário de Planejamento da Prefeitura, Eurides dos Santos, esclareceu que o projeto para a construção do calçadão ainda não possui licenciamento ambiental da Fundação de Meio Ambiente do Estado (Fatma) e que está em fase de licitação. “Ainda não há previsão para iniciar com as obras. Vamos ter o calçadão pronto antes da Festa do Pirão”, garantiu o procurador, que disse não ter conhecimento ainda do orçamento total da obra.
De acordo com Eurides, será construído um calçadão com tijolos de alta resistência conhecidos como Paver, que estão em praias como as de Florianópolis ou Balneário Camboriú.
A empresa que ganhou a licitação para asfaltar a avenida Beira-mar desde o Costão dos Náufragos, até passando o restaurante Butiá, é a Vogelsanger Pavimentações Ltda. Depois da colocação do meio fio e as bocas de lobo, ainda não há definição para que os pedestres possam utilizar a calçada. Enquanto isso, como a pista da avenida ficou mais estreita, os pedestres são forçados a caminhar pela rua.
 

Foto por: Ezequiel Díaz Savino

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você