23 C
Piçarras
quarta-feira 17 de abril de 2024


Canal da Foz do Itapocu é aberto emergencialmente

Ouça a Matéria

Um canal artificial de 10 metros de largura foi aberto na Foz do Rio Itapocú no sábado, dia 22 de janeiro, para permitir o escoamento da lagoa do município e assim evitar as enchentes provocadas pelo excesso de chuvas. Populações ribeirinhas de Barra Velha como da Quinta dos Açorianos e de Araquari, como o Morro Grande e a Barra do Itapocú, ficaram parcialmente alagadas em trechos de acesso.
O maquinário da Secretaria de Obras do município trabalhou o dia todo para abrir o canal ao lado de um dos moles de pedras que já foi concluído para a fixação e dragagem da foz do Itapocú, no final da Rua Armando Petrelli. Tudo para impedir o transbordamento da lagoa.
A saída da água trouxe também para as praias do município muitas madeiras, árvores, e até vegetação, fruto da pressão da água nas encostas. Durante toda a semana a coloração do mar apresentou tons marrons pelo arrastamento de sedimentos como o barro.
O setor de Obras limpou a Praia Central e o Tabuleiro para dar condições aos banhistas de utilizar as duas áreas turísticas com maior concentração de pessoas, porém outros locais ainda oferecem perigo para os banhistas. Na Praia da Península e na Praia do Sol muitas madeiras com pregos ainda estão na areia.
Segundo o prefeito Samir Mattar a ação emergencial aconteceu com autorização da Fundação do Meio Ambiente do Estado (FATMA), como em outras ocasiões, evitando o transbordamento. Nas cheias de 2008 e do início de 2009, o excesso de água na lagoa resultou em prejuízos em Barra Velha – o Fórum da cidade, por exemplo, teve seu expediente forense cancelado devido à invasão da água na rua José do Patrocínio de Oliveira, acesso ao Judiciário. As comunidades da Quinta dos Açorianos também ficaram isoladas.
Ainda no sábado, o representante da Defesa Civil, o secretário de Planejamento Eurides dos Santos, e o secretário de Obras Lourival Matias Francisco, o Lourinho, fizeram um mapeamento de áreas alagadas em Itajuba, Vila Nova, Sertãozinho, São Cristóvão e região da lagoa. Já o Corpo de Bombeiros Militar de Barra Velha, através do cabo Cladenir Sikorski, representante do Corpo na Comissão de Defesa Civil, informou que não houve comunicado de nenhuma ocorrência relacionada às enchentes.
A Prefeitura também solicitou apoio da Associação de Municípios do Vale do Itapocu (Amvali), no encaminhamento de pleitos em Brasília visando acelerar a obra de reabertura da foz do Itapocu, a qual está em andamento.
De acordo com o prefeito e o secretário Eurides, a fixação da desembocadura do rio Itapocú terá impacto regional, já que boa parte das cheias em cidades como Massaranduba, Jaraguá do Sul e Guaramirim acontecem justamente por conta do assoreamento do rio em seu trajeto final, entre Barra Velha e Araquari. A abertura emergencial ocorreu já entre as obras dos novos molhes que servirão para fixar o canal. Em poucos minutos, a força da água garantiu a vazão em direção ao mar e até mesmo surfistas apareceram para surfar no novo canal.
Em Araquari as chuvas geraram mais de R$ 6 milhões de prejuízos de acordo com um relatório apresentado pelo prefeito João Pedro Woitexem. Mais de 500 pessoas ficaram desabrigadas pela subida do rio Itapocú.
 

Foto por: Gaspar Toscan | PMBV

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você