15 C
Piçarras
domingo 26 de maio de 2024


Iniciadas discussões sobre Alienação Parental

Ouça a Matéria

Emoção, indignação e vontade de mudar a realidade. Esses foram alguns dos principais sentimentos despertados na platéia que assistiu a primeira palestra de divulgação sobre a Síndrome da Alienação Parental (SAP). A palestra aconteceu no dia 27 de outubro, na Câmara de Vereadores, e foi organizada pelo Rotary Club de Piçarras em parceria com entidades. Estiveram presentes no evento representantes do Conselho Tutelar, da Secretaria da Educação, da subseção da OAB em Balneário Piçarras, membros do Rotary, além do vereador Maurício Koche, autor da lei que criou o Dia Municipal de Conscientização sobre a Alienação Parental.
De acordo com o articulador da palestra o rotariano Fernando Garcia, a palestra foi aberta a toda a comunidade, com o foco voltado aos pais e educadores. “É um tema que começou a ser divulgado há cerca de seis anos, mas só agora está ganhando destaque nacional. A alienação parental é um problema muito sério e uma prática muito comum”, salienta.
Na palestra, Garcia apresentou partes de um filme que, considera, a bíblia da alienação parental: ‘A morte inventada’, do diretor, Alan Minas. “Este documentário mostrou aos participantes alguns relatos de pessoas adultas que sofreram a alienação e que somente agora perceberam o que realmente aconteceu: que elas foram levadas a se afastarem do pai ou da mãe”, frisa. Já o advogado, Carlos Baungarten palestrou sobre as questões jurídicas da alienação parental, revelando os direitos e como proceder judicialmente nestes casos.

Exemplo
Inspirado em sua própria dor, Fernando Garcia apresentou alguns depoimentos pessoais sobre o assunto e respondeu algumas perguntas dos presentes. Segundo Garcia, ele mesmo vive a alienação parental há seis anos e encontra dificuldades em ver seu filho, que mora em São Paulo. “Ela (ex-esposa) faz de tudo para que eu não o veja. Mas graças a Deus, a criação dele foi muito apegada a mim e isso fez com que ela não conseguisse mudar o que meu filho pensa sobre minha pessoa”, avalia. “Essa palestra foi só o começo do que podemos fazer para informar sobre o tema e orientar. Nas escolas, professores e diretores, se tiverem conhecimento, poderão perceber melhor as dificuldades dos alunos, reconhecendo melhor as questões da alienação no desenvolvimento do aluno. Orientar pais também será fundamental para que a alienação não aconteça ou não seja mascarada e, pior, não seja estimulada”, finaliza.

ASSISTA
Para conhecer melhor o tema assista a palestra em Piçarras através de um vídeo do You Tube: http://www.youtube.com/watch?v=4F9eudouJr0
 

Foto por: Danielle Garcia

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você