27 C
Piçarras
segunda-feira 26 de fevereiro de 2024


Ponte sobre o Rio Itajuba está ameaçada

Ouça a Matéria

 Construída há mais de 30 anos, a ponte do Rio Itajuba, que unifica a principal avenida do bairro, apresenta rachaduras e deterioração grave na sua estrutura, de acordo com um relatório técnico apresentado recentemente pela Defesa Civil e a Secretaria Municipal de Planejamento da prefeitura. Ambos órgãos documentaram que diante da falta de manutenção do acesso, existe um perigo iminente na estrutura. Nos próximos dias, estará sendo definido se a prefeitura opta pela construção de uma nova ponteou se realiza um conserto no local. “A situação é bem crítica. Estamos prevendo delimitar o peso de veículos na ponte, proibindo o trânsito de caminhões pesados pelo local. Colocaremos placas informando da situação”, disse o secretário de Planejamento e engenheiro civil, Guilherme Stein Cani.

O investimento estimado para o conserto da ponte está entre R$ 250mil e R$ 300 mil, sendo necessário melhorar a armadura de concreto da estrutura, que está muito enferrujada pela ação da água salgada e o vento. O secretário explicou que a ponte nunca recebeu manutenção desde que foi inaugurada e que este problema é um defeito que afeta pontes de todo o Brasil. “A maioria das pontes do país foram construídas no período da ditadura e nunca receberam manutenção”, explicou o secretário. Ainda não foi apurado quais licenças serão necessário para a obra, entanto vizinhos e veranistas seguem preocupados pelo estado das pilares de sustentação, onde estão expostas à ferrugem as ‘jaulas’ de aço.

O presidente da Defesa Civil, Elton Cunha, informou que o relatório apurado com a situação da ponte foi protocolado no dia 28de maio na prefeitura municipal. O documento foi fundamentado na necessidade de sensibilizar os gestores da Defesa Civil e outras autoridades públicas sobre o perigo iminente de desabamento da ponte. O principal problema da estrutura são as colunas de sustentação da ponte, que apresentam graves problemas de deterioração por ferrugem. As armaduras que dão resistência às colunas estão corroídas na região de deslocamento de maior esforço. O documento salienta um “indicativo de flambagem eminente, tendo a estrutura sem nenhuma resistência tração em casos de frenagem no meio do tabuleiro, podendo virar ruina no caso desta solicitação”.

A recomendação do relatório sugere limitar, em caráter de emergência, o trânsito de veículos acima de 22 toneladas em ambos sentidos da pista até a adoção de medidas de recuperação. A situação preocupante da ponte foi noticiada em 2006 pelo JC, quando no governo de Valter Zimmermann, o então engenheiro Alexandre Damásio Ramos já tinha alertado a necessidade de manutenção da ponte.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você