24.5 C
Piçarras
sexta-feira 23 de fevereiro de 2024


Vereador denuncia pesca predatória em Barra Velha

Ouça a Matéria

O vereador de Barra Velha, Jorge Borghetti (DEM), pediu informações à Polícia Militar Ambiental sobre como está atualmente a fiscalização sobre a pesca predatória. Sua solicitação foi embasada em mm vídeo gravado por pescadores da foz do Rio Itapocu, na boca barra, entre Barra Velha e Araquari, e que flagra novamente a pesca predatória com uso das redes feiticeiras, proibidas por lei.

“Essa prática é reiterada em nossa lagoa ou no Rio Itapocu, e é preciso maior fiscalização e punição”, destaca o vereador. “E é altamente agressiva com o meio ambiente, pois mata os peixes pequenos e vem a causar consequências desastrosas, não apenas no aspecto biológico ou do ecossistema, mas também econômico, para os próprios pescadores”, completou.

O vereador teve acesso ao vídeo dos pescadores e encaminhou um ofício ao major Fábio Henrique Machado, comandante do 1º Pelotão da 2ª Companhia de Polícia Militar Ambiental em Joinville. O parlamentar anexou o vídeo ao ofício, protocolado na tarde de quarta-feira, 8, no comando da Polícia Ambiental, em Joinville, pelo assessor parlamentar Eunildo dos Santos.

De acordo com Jorge, os próprios pescadores que procedem de maneira correta fiscalizaram as boias das redes irregulares na foz do Itapocu (boca da barra) logo ao amanhecer. A ação, segundo o parlamentar, caracteriza a pesca predatória, feita de maneira incorreta e consequentemente ilegal.

De acordo com pesquisadores do meio ambiente, a rede irregular, popularmente chamada feiticeira, já caracteriza um gênero de pesca predatória. Em geral, esse apetrecho é composto por três redes com malhas de tamanho diferentes, juntas em uma rede só. Com isso, ela captura peixes de todos os tamanhos, desde filhotes até adultos e fica praticamente impossível o animal escapar dela.

O vereador assegura que irá concentrar esforços para cobrar melhor fiscalização, e também repassar a situação à Fundação do Meio Ambiente de Barra Velha (Fundema). “A pesca predatória captura peixes pequenos, muito jovens, e nesse aspecto, não tem como fugir à escassez de peixes num médio prazo, e, a longo prazo, à extinção de várias espécies”, diz o vereador. “O peixe acaba não tendo a possibilidade de reproduzir-se”, completa.

Denúncia em vídeo
No vídeo recebido pelo vereador do DEM, de 1h39s de duração, um pescador não identificado flagra outras embarcações em período que segundo ele, seria anterior a 7h da manhã, na região da “quebrança”, como chamam os pescadores, na desembocadura do Rio Itapocu.
O pescador registrou o flagrante no último dia 4 de março deste ano, e segundo ele, foram quatro as embarcações flagradas carregando os peixes capturados com a rede feiticeira. Várias outras redes foram filmadas ainda dentro dos canais da foz, na junção entre lagoa e mar. “Não há fiscalização”, acusa o autor do vídeo.

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você