26.1 C
Piçarras
quinta-feira 29 de fevereiro de 2024


Presença de coliformes fecais faz Estado interditar toda maricultura de Penha

Ouça a Matéria

A Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural interditou nesta quarta-feira, 11, os cultivos de ostras e mexilhões produzidos em todas as fazendas marinhas de Penha. Após interditar a área de Armação, a Secretaria também proibiu a retirada e comercialização da região da Praia Alegre por conta da presença de coliformes fecais (Escherichia coli).

A interdição se dá por conta de exames laboratoriais constatarem a presença de coliformes em índices acima do permitido pela legislação sanitária. A Secretaria também proibiu retirar e comercializar ostras, mexilhões, vieiras, berbigões e seus produtos, inclusive nos costões e beira de Praia Alegre.

A medida foi necessária após exames laboratoriais detectarem a concentração de coliformes fecais acima dos limites permitidos para o consumo humano de moluscos bivalves. A restrição passa a ser agora para as duas localidades produtivas de Penha, Praia Alegre e Armação do Itapocorói – interditada dia 4.

A Cidasc segue com o monitoramento constante das áreas de produção de moluscos interditadas e arredores. Os resultados dessas análises definirão a liberação ou a manutenção das interdições das áreas afetadas. As localidades interditadas serão liberadas após dois resultados consecutivos que demonstrem que os moluscos estão aptos para o consumo.

Santa Catarina é o maior produtor nacional de moluscos, com 39 áreas de produção distribuídas em 11 municípios do Litoral. O setor gera mais de 1.900 empregos diretos e a produção gira em torno de 13 mil toneladas de mexilhões, ostras e vieiras.

Foto por: Felipe Bieging

REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
REDAÇÃO, JORNAL DO COMÉRCIO
Desde 1989 informando a comunidade. Edição impressa semanal sempre aos sábados.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você