24 C
Piçarras
quinta-feira 18 de abril de 2024


Moradores do Itacolomi denunciam formação de ‘lixão’ em terreno da Prefeitura

Ouça a Matéria

Moradores denunciam a formação de um depósito de entulhos em um terreno baldio da Prefeitura de Balneário Piçarras, ao lado da Unidade Básica de Saúde do bairro Itacolomi. A situação teria se agravado assim que o local começou a ser usado pela Secretaria de Obras para o início do aterro com lixo verde (poda de árvores, lodo, vegetação e galhos). Agora, sacos repletos de lixo, colchões e resto de móveis se acumulam no local.

Segundo moradores vizinhos à área de 6 mil metros quadrados (incluindo a Unidade de Saúde), o terreno está se tornando um “verdadeiro lixão”. O descarte de entulhos é rotineiro e feito sem qualquer cerimônia, por diversos públicos. Rejeitos de construção também são alocados no local, conforme flagrantes feitos pela própria população – em relatos fotográficos que mostram a mudança gradual do cenário.

Uma das preocupações é com relação a atual situação de infestação do Aedes aegypti na cidade e região. “Começou (aumento de entulhos) com a Prefeitura quando fez os cortes das árvores na Avenida Nereu Ramos. Depois desse dia a limpeza urbana começou a fazer o descarte de entulhos, não só galhos, como sacolas plásticas e outros lixos. O pessoal da rua fez reclamações, mas falaram que um dia vão aterrar. Mas até lá e com chuvas o lixo cria mosquito”, disse uma moradora local.

Ela também relatou o aumento no surgimento de animais peçonhentos. “Até jararaca já apareceu nas casas”, disse ela à reportagem, enviado uma foto do animal. A reportagem conversou com uma fonte no Corpo de Bombeiro Militar de Balneário Piçarras, que disse haver semelhança entre a foto apresentada e a espécie jararaca – bastante venenosa. O surgimento de cobras e lagartos cresce com a chegada do calor, atenuado por matagal e depósitos de entulhos a céu aberto.

A Secretaria de Obras, através do assessor Dorval Vieira de Oliveira, disse que “a Secretaria de Obras está aproveitando o barro retirado da limpeza das ruas para aterrar aquele terreno, porém, orientamos aos moradores que não podem ser descartados outros materiais no local, sob pena de multa. Inclusive na próxima semana iremos retirar o lixo jogado indevidamente e vamos monitorar para punir eventuais infratores.”

O artigo 7º do Código de Posturas da Prefeitura pontua ser proibido “aterrar vias públicas, quintais e terrenos baldios com lixo, materiais velhos ou quaisquer detritos”. Em casos de terrenos particulares, a sanção é a notificação para limpeza. O descumprimento da notificação pode render multa de 30 UFM (R$ 3.479,70) – conforme nova Lei sancionada no último dia 9, pelo prefeito Tiago Baltt (MDB).

SITUAÇÃO IDÊNTICA EM PENHA

Em Penha, câmeras de monitoramento flagraram um morador rejeitando detritos de construção na região da Praia Grande. A Associação de Moradores e Amigos da Praia Grande (AMAPG) formalizou o reclame através de um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você