25.2 C
Piçarras
segunda-feira 26 de fevereiro de 2024


Civil e TCE deflagram operação sobre possível fraude em kits de alimentação, em Barra Velha

“Suspeita de valores superfaturados e pela pouca estrutura da cooperativa em relação aos produtos fornecidos", explicou o delegado.

Ouça a Matéria

Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE/SC) deflagram nesta segunda-feira, 8, a Operação Triangular. Ela investiga uma cooperativa, empresários e agentes públicos por um contrato firmado com o município de Barra Velha, em 2020, para o fornecimento de kits de alimentação durante a pandemia de Covid-19. O foco é investigar uma possível organização criminosa atuando em crimes licitatórios, contra a administração pública, fiscais e lavagem de dinheiro.

Os trabalhos se iniciaram pelo cumprimento de 17 mandados de busca e apreensão em Barra Velha, São João do Itaperiú, Siderópolis, Forquilhinha e Criciúma. O delegado Rodrigo Dantas detalhou que a investigação começou a partir do confronto de dados por técnicos do TCE/SC.  “No ano de 2020, o município de Barra Velha fez aquisições a partir de uma cooperativa de produtores rurais na qual levantou suspeita de valores superfaturados e pela pouca estrutura da cooperativa em relação aos produtos fornecidos”, explicou o delegado.

Os kits seriam entregues para famílias com crianças em idade escolar. Suspeita-se que a cooperativa de produtores rurais tenha sido criada para facilitar a participação em licitações – permitindo assim que empresários do ramo de supermercados participasse. Orçamentos acordados para o superfaturamento dos produtos também está na pauta dos policiais. Na primeira ação de busca de apreensão, os agentes focaram na captura de celulares, documentos e computadores.

Fundada em 2018 com um capital social de R$ 100, a cooperativa recebeu cerca de R$ 3 milhões da Prefeitura de Barra Velha e mais R$ 9 milhões de outras cidades. Durante a ação, um homem foi preso pelo crime de tráfico de drogas. Ele não era alvo da operação, mas casado com uma mulher que o mandado de busca e apreensão decretado.

Consultada, a Prefeitura de Barra Velha afirmou que “em virtude de que se tratam de fatos que ocorreram na gestão anterior, estamos aguardando a cópia do inquérito para apuração dos fatos e abertura do processo administrativo competente. O Município tem colaborado com as investigações, fornecendo todos os dados solicitados. Tão logo sejamos intimados, tomaremos as medidas cabíveis, mantendo a imprensa informada”.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você