26.1 C
Piçarras
sábado 24 de fevereiro de 2024


2002/2021: IBGE aponta Balneário Piçarras com a sétima maior evolução em SC

Ouça a Matéria

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicou, no último dia 15, os números municipais atualizados do Produto Interno Bruto (PIB) alusivos ao ano de 2021. Eles revelam que ao longo dos últimos dezenove, Balneário Piçarras somou – proporcionalmente – o sétimo maior crescimento econômico do estado de Santa Catarina.

LEIA TAMBÉM
PIB: Barra Velha é a quinta economia que mais cresceu em dezenove anos

Na vertente do novo século, Balneário Piçarras se evidencia passando de R$ 75 milhões (2002) para R$ 1.5 bilhão: 1.915%. A crescente piçarrense ganhou maior vigor em 2016, quando a construção civil passou a atuar com maior intensidade na cidade. Na transição de 2016 para 2017, por exemplo, o PIB de Balneário Piçarras cresceu 41,4% e saltou de R$ 594,6 milhões para R$ 841,1 milhões.

“A construção civil é um de nossos pilares de crescimento. E estamos empenhados, todos juntos – empresários, trabalhadores e governo municipal, em crescer com desenvolvimento e planejamento”

TIAGO BALTT (MDB)
FOTO, FELIPE FRANCO/ JC

“A construção civil é um de nossos pilares de crescimento. E estamos empenhados, todos juntos – empresários, trabalhadores e governo municipal, em crescer com desenvolvimento e planejamento. É isso que chamamos de Desenvolvimento Seguro. Os empresários do comércio e da indústria e empreendedores da construção civil de Balneário Piçarras têm muita sensibilidade social e sabem da necessidade de associar desenvolvimento e crescimento”, definiu o prefeito, Tiago Baltt (MDB).

Uma das empresas que participou diretamente do ‘boom’ da construção civil é a Rôgga. Tendo uma visão de futuro e acreditando no potencial de Balneário Piçarras e região, em 2012 a empresa passou a investir em amplas áreas, em localização nobre da cidade. Em 2014 lançou o Bali Beach Home Club, empreendimento de grande porte e que mudou o patamar construtivo da cidade. O presidente da companhia, Vilson Buss diz “orgulha-se de contribuir para melhorar o habitat humano e ajudar a desenvolver a economia das cidades em que atua”.

Ele vê ainda que um novo segmento nasce na cidade, de altíssimo padrão. “Somos a primeira empresa do setor de construção civil de Santa Catarina no ranking das Maiores e Melhores Empresas da revista Exame e única empresa do segmento do Estado entre as Top 25 Campeãs de Inovação em estudo da revista Amanhã, a Rôgga orgulha-se de contribuir para melhorar o habitat humano e ajudar a desenvolver a economia das cidades em que atua […] “Agora Piçarras entra em um novo patamar de mercado, no segmento de luxo”

Construção civil alavancou economia local na transição 2016/2017 – Foto, Felipe Franco / JC

O prefeito Tiago Baltt também observa a questão demográfica como fator crucial para os números econômicos crescente. O Censo 2022 apontou um salto de 65% em uma década: de 17.078 para 28.177 piçarrenses. Proporcionalmente, foi o 13º maior crescimento do estado.

“O momento em que estamos pode ser contado pela trajetória de Balneário Piçarras. Uma primeira observação se refere ao movimento da população em direção ao litoral de Santa Catarina atestado pelos últimos dois Censos Demográficos do IBGE. Analisamos isso em conjunto e com cuidado quando saíram os resultados do Censo Populacional. Houve um grande fluxo de pessoas que veio morar em nossa região e isso fez crescer a demanda econômica. Mais consumidores, mais empreendedores, mais diversificação econômica, mais circulação de pessoas, mais profissionalização das atividades e mais exigências de qualificação para o trabalho. Isso, por si só, já transformou Balneário Piçarras”, observou.

LEIA:
PIB 2021: economia interna de Penha entra na casa do bilhão

Lideram essa relação 2002/2021 os municípios de Araquari (R$ 113,5 milhões para R$ 7,4 bilhões, 6.400%), Itapoá (R$ 69,3 milhões para R$ 1,6 bilhão, 2.300%), Itajaí (R$ 2,1 bilhões para R$ 47,7 bilhões, 2.100%), Garuva (R$ 92 milhões para R$ 2 bilhões, 2.095%), Barra Velha (R$ 109,5 milhões para R$ 2,3 bilhões, 2,066%) e Navegantes (R$ 286,8 milhões para R$ 6,1 bilhões, 2,041%).

Pelos Dados do IBGE, Balneário Piçarras é a 49ª força do estado no PIB 2021. Joinville (R$ 45 bilhões), Florianópolis (R$ 23,5 bilhões), Blumenau (R$ 20,5 bilhões) e São José (13,8 bilhões) vem na sequência. Tiago frisou estar atento aos números do PIB. Para ele, cabe ao poder público manter os investimentos estratégicos como forma de manter a cidade atrativa para os investidores.

“Estamos investimento muito, de verdade, em Planejamento da cidade. Isso inclui meio ambiente, saneamento básico, pavimentação e mobilidade, investimentos em turismo. Sem jamais esquecer de que educação faz um futuro melhor e saúde é fundamental para viver bem […] O crescimento traz muita demanda, muito trabalho. Empresários, gestores públicos e organizações precisam estar presentes e atentos. Não dá para descuidar um só momento. É preciso ter muita responsabilidade com as pessoas e com a cidade”, encerrou.

EVOLUÇÃO DO PIB DE BALNEÁRIO PIÇARRAS
2002 | R$ 75 milhões
2003 | R$ 94, 6 milhões
2004 | R$ 109,6 milhões
2005 | R$ 132,2 milhões
2006 | R$ 168,7 milhões
2007 | R$ 196,3 milhões
2008 | R$ 229,5 milhões
2009 | R$ 261,2 milhões
2010 | R$ 282,3 milhões
2011 | R$ 359,1 milhões
2012 | R$ 322 milhões
2013 | R$ 449,5 milhões
2014 | R$ 511,9 milhões
2015 | R$ 511,3 milhões
2016 | R$ 594,6 milhões
2017 | R$ 841,1 milhões
2018 | R$ 940,6 milhões
2019 | R$ 1,1 bilhão
2020 | R$ 1,2 bilhão
2021 | R$ 1,5 bilhão
Fonte: IBGE

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você