24 C
Piçarras
quarta-feira 24 de abril de 2024


“Têm partidos aqui na oposição que precisam estar alinhados”, afirma Evandro Eredes

O ex-prefeito de Penha pontua que o cenário política municipal ainda está indefinido, mas que partidos opostos à atual gestão precisam caminhar juntos caso queiram obter êxito em 2024

Foto, Felipe Franco / JC
Ouça a Matéria

O ex-prefeito de Penha e atual segundo suplente de deputado federal, Evandro Eredes dos Navegantes (PSDB), já atua nos bastidores da política pensando no pleito municipal do próximo ano. Já anunciando sua pré-candidatura ao posto principal da Prefeitura, ele avalia que o cenário ainda está totalmente aberto diante das recentes movimentações partidárias e a própria conjuntura nacional. Para os próximos meses, ele espera que movimentações na esfera federal possam o levar temporariamente a ocupar a cadeira na Câmara dos Deputados.

“Eu sou um pré-candidato a prefeito. Também tem o vereador Adriano Tibeco, também pré-candidato. O que eu vejo hoje é um cenário com muita dificuldade de a gente fazer uma leitura clara. Nós estamos fechando um ciclo de oito anos de uma administração, que daí isso sempre renova a esperança de que é preciso mudança, alternância de poder. Quando se fala de poder de pessoas, de partido, ela é importante para o crescimento da cidade, mas sobretudo para fortalecer a democracia. Estamos fechando um ciclo de oito anos e isso possibilita a vinda de novas lideranças, o retorno de lideranças”, avalia Evandro.

“Mas, é preciso que na oposição possa haver uma convergência de palanque para diminuir o número da oposição, para ter uma um enfrentamento mais equilibrado, pode-se dizer”

EVANDRO EREDES
FOTO, FELIPE FRANCO

Ele acredita as combinações começarão somente no ano que vem e que para um projeto de sucesso é preciso que partidos – que pensem com a mesma proposta – se unam. “Eleição acontece ano que vem, é a partir do ano que vem que começam as conjunturas, mas é importante a gente estar atento aos movimentos e ao cenário como um todo. E, eu vejo agora uma visão diferente da que foi 2020, que tinha reeleição. Esse ano não tem reeleição. Mas, é preciso que na oposição possa haver uma convergência de palanque para diminuir o número da oposição, para ter uma um enfrentamento mais equilibrado, pode-se dizer. O PSDB o PL e União Brasil, enfim, têm partidos aqui na oposição que precisam estar alinhados no mesmo caminho para poder ter um resultado positivo nas eleições”, afirma.

Ele afirma que não busca ser a única opção do grupo de oposição, mas que se os estudos eleitorais apontarem para isso, acredita que questões pessoais deverão ser esquecidas. “Eu sempre falo em praticar gestos, as pessoas precisam de gesto, precisam ser gentis contigo para que tu possa retribuir. Então o meu trabalho aqui na oposição é um trabalho realmente de posicionamento de oposição. Eu estarei conversando com todos do campo da oposição, para que a gente possa ter um entendimento. Eu estarei sempre tentando alinhar um caminho que a gente possa vencer as eleições”, comenta.

“É um fato que a gente ainda está aí conversando, observando. Eu não quero causar nenhum mal-estar pra ninguém mesmo que todos nós somos amigos e essa situação ela precisa ser convergida para ser bom pra todo mundo”

EVANDRO EREDES

Semanas atrás, seu nome foi ventilado para uma possível filiação junto ao PL. Evandro confirmou a conversa com deputados estaduais da sigla, mas prega calma antes de tomar uma decisão. “É um fato que a gente ainda está aí conversando, observando. Eu não quero causar nenhum mal-estar pra ninguém mesmo que todos nós somos amigos e essa situação ela precisa ser convergida para ser bom pra todo mundo. Se nós entendermos que esse é o caminho melhor para oposição, a gente dará o passo. Mas, isso com muita calma, com muita tranquilidade ouvindo a base, ouvindo meus pares políticos, as pessoas que me rodeiam

Quanto à possibilidade de assumir o posto de deputado federal, Evandro é otimista. Em 2022, recebeu 9.760 votos e hoje é o segundo suplente: “eu já tive numa reunião com o presidente estadual do PSDB, tive uma reunião também com a deputada Geovânia de Sá, que é a detentora do mandato nesse momento – na verdade o cargo é da Carmen Zanotto, mas a deputada Geovânia que está ocupando. Então, esse é um trabalho que nós estamos fazendo. Eu estou muito esperançoso que isso possa acontecer nos próximos meses, que pela primeira a cidade de Penha pode ter um Deputado Federal, pode ter uma pessoa representando o Penha lá em Brasília para falar sobre o nosso turismo, para falar sobre a nossa pesca, para falar sobre o nosso comércio, para falar sobre a nossa cidade e a nossa região. Então, eu creio que esse é um assunto, é um fato que vai acontecer e vai acontecer nos próximos meses”.

Ele confirmou que o resultado do pleito federal não lhe agradou plenamente, mas que atendeu a um chamado do PSDB. “Obviamente que a primeira questão de ter sido candidato foi para cumprir um papel e obedecer a um chamamento partidário, porque quando o partido político te aciona, tu também precisa praticar o gesto e se doar. Então, eu fui candidato a deputado federal dentro de uma conjuntura que era importante para o partido. Então eu me sacrifiquei, coloquei meu nome à disposição, rodei o Estado – oportunidade de conhecer pessoas, de viver um mundo diferente daquele que eu vivia”, categoriza.


ABRE ASPAS | Evandro Eredes

“Eu estou presidente do PSDB é o maior partido de oposição hoje. Nós nos encontramos no campo da oposição. Nós temos dois vereadores na Câmara de Vereadores fazendo esse trabalho de aproximação com o povo, entendendo as demandas…A gente se reúne periodicamente para gente poder entender os caminhos e nos aproximarmos da população como um todo. Então, hoje eu não exerço nenhum cargo político a nível de estado, nem a nível de município e eu fico concentrado no campo da oposição fazendo trabalho de oposição, porque aqui é de fato o espaço e o caminho do PSDB”

“A nossa oposição que é feita na Câmara de Vereadores, uma oposição institucional, os nossos vereadores têm cobrado do prefeito, do Governo, as demandas que de fato são as que vão ao encontro das necessidades do povo, como por exemplo a educação – que até hoje não foi dado ainda o piso nacional do magistério. A questão também de infraestrutura, a qualidade das obras. O PSDB não discute o mérito da obra. A obra precisa acontecer. Cada prefeito fez a sua parte. Agora a obra precisa acontecer com qualidade. Porque dinheiro público está sendo investido. Então o PSDB cobra e bate muito em cima disso”

“A obra tem que ser feita. Se o meu governo não conseguiu chegar naquele bairro, porque nós chegamos em outro. Mas, nós temos o entendimento de que a cidade precisa avançar em infraestrutura. Agora precisa ser feita, mas precisa ser feito com qualidade, precisa ser feito com responsabilidade e não de qualquer jeito. Porque daí a conta tem que ser paga duas vezes”

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você