24.9 C
Piçarras
sábado 13 de abril de 2024


CPI da Educação: presidente quer finalizar investigação até final de março

Ouça a Matéria

O vereador presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) – que investiga os gastos públicos na área da Educação de Penha – afirmou que espera concluir os trabalhos até final do mês de março. Luiz Fernando Vailatti (Podemos), o Ferrão, confirmou que o trabalho entrou na fase final das oitivas.

Nesse momento, a CPI concentra o trabalho ouvindo os profissionais que atuavam na Controladoria Interna da Prefeitura, entre janeiro de 2021 à fevereiro de 2023. Já foi ouvida a atual controladora, Luciana Maria de Souza Nascimento. A então controladora-adjunta e atual secretária de Educação, Thyrciane Santana, será ouvida novamente.

“Depois disso, provavelmente, também vamos chamar o pessoal responsável pela Sindicância que estão fazendo na Prefeitura. Assim, eu espero terminar essa CPI nesse mês de março”, confirmou Ferrão. A vice-prefeita e ex-secretária de Educação, que comandou a pasta durante o período apurado pela CPI, deve ser a última a ser ouvida.

Além de Luciana, a CPI já ouviu o ex-secretário de Administração Luiz Eduardo Bueno (que teve passagens também pela secretária de Governo e Fazenda, além do Controle Interno), a atual secretária municipal de Administração, Camila Luchtenberg, e a atual secretária municipal de Educação, Thyrciane Santana.

Por deliberação dos membros da CPI, as oitivas não estão sendo transmitidas ao vivo pelos canais oficiais da Câmara de Vereadores de Penha com o intuito de evitar possíveis interferências nos depoimentos. No entanto, todos estão sendo gravados em vídeo e o conteúdo será disponibilizado no relatório final da CPI.

A CPI apura o destino e utilização de verbas destinadas à Educação, contratações, demandas das unidades escolares, eventual desvio de servidores, análise de contratos e convênios, sobretudo no período em que a vice-prefeita, Maria Juraci Alexandrino (MDB), esteve no comando da secretaria, até o início do ano passado.

Desde o início da CPI, Juraci disse defender os trabalhos, mas que vê conotação política em um período já pré-eleitoral. “Mas faço um alerta: não subestimem o povo! A cidade está atenta e sabe que não se trata de investigar gestão, muito menos preocupação com a Educação; a motivação é a eleição! Os mesmos de sempre, com a estratégia já conhecida de tentar destruir reputações”, disse.

Instalada no dia 16 de outubro, a comissão solicitou prorrogação dos trabalhos por mais 90 dias, considerando-se a quantidade de documentos a serem analisados e também pessoas a serem ouvidas. Presidida por Ferrão, a CPI tem a relatoria do vereador Everaldo Dal Pozzo (PL), o Italiano.  Célio Francisco (PSDB), Mário Moser (União), o Marquett, e Maurício Brockveld (MDB) são os membros.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você