24.1 C
Piçarras
segunda-feira 15 de abril de 2024


Defesa de Douglas da Costa (PL) emite nota: “suposições levianas e falsas”

“O prefeito nega veementemente, afinal, jamais teve qualquer tipo de participação em esquemas e ilicitudes”, afirma a nota, disparada na noite desta segunda-feira (11)

Foto, Felipe Franco / JC
Ouça a Matéria

A defesa do prefeito afastado de Barra Velha, Douglas Elias da Costa (PL), emitiu na noite desta segunda-feira, 11, a primeira nota oficial desde a prisão do gestor em 24 de janeiro – em decorrência da ‘Operação Travessia’, comandada pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).  Os defensores alegaram inocência do gestor e definiram como “levianas e falsas” as suposições da denúncia.

“Ressaltamos que tal fato se deu em decorrência de suposições levianas e falsas relacionadas com a construção da ponte de Itajuba, às quais o prefeito nega veementemente, afinal, jamais teve qualquer tipo de participação em esquemas e ilicitudes”, afirma o documento, que traz a assinatura dos advogados Eduardo Antônio da Silva e Sheila Jaqueline da Costa Scherer.

LEIA
Douglas da Costa (PL) e mais sete são denunciados pelo Ministério Público por quatro crimes

Os advogados afirmam ainda que “até o momento não foi levantada uma prova sequer contra o prefeito e, somente está passando por todo este constrangimento, única e exclusivamente, pela posição que ocupa”. Douglas e mais sete pessoas foi denunciado pelo MPSC pelos crimes de organização criminosa, fraude à licitação (17 vezes), crime de responsabilidade (11 vezes) e lavagem de dinheiro (27 vezes).

Eduardo e Sheila pontuam inocência de Douglas e afirmam que ele está colaborando com as investigações: “Gostaríamos de salientar que o Prefeito está bem e confiante no êxito de sua defesa, tem plena convicção de sua inocência e está colaborando com as autoridades para que a verdade seja esclarecida o mais rápido possível”.

LEIA
MPSC vê indícios de fraude licitatória e propinas também na obra do Parque do Peabirú

Após ser detido no dia 24 de janeiro, no dia 26 o desembargador do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), José Everaldo Silva – responsável pela análise do processo – determinou o afastamento de Douglas do cargo de prefeito pelo prazo de 180 dias. A decisão foi tomada diante da interferência de Douglas, mesmo da prisão, em decisões administrativas.

Por fim, os advogados acreditam que o prefeito retomará suas funções eletivas com o andamento do processo. “Entendemos que este momento é delicado para todos e, principalmente, para seus familiares que sofrem com a situação. No entanto, pedimos que mantenham a calma e confiança no trabalho da Justiça. Acreditamos que a verdade prevalecerá e tão logo o Prefeito poderá retomar suas funções”, encerrou a nota.

1 COMENTÁRIO

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback
Assessoria afirma serem falsas informações de que Douglas da Costa (PL) teria tentado contra a própria vida
1 mês atrás

[…] LEIA:Defesa de Douglas da Costa (PL) emite nota: “suposições levianas e falsas” […]

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você