27 C
Piçarras
segunda-feira 26 de fevereiro de 2024


Estado estimula uso e produção de máscaras de TNT ou tecido

Ouça a Matéria

A Secretaria de Saúde de Santa Catarina publicou portaria (224, de 3 de abril) autorizando a confecção e uso de máscaras de tecido para a população em geral como uma barreira física que pode complementar os demais cuidados não farmacológicos. O estímulo ao uso da proteção vai ao encontro de estudos de órgãos da saúde que apontam para o surgimento de novos casos de Covid-19, a doença do coronavírus, a partir da próxima semana. Há, entretanto, pequenas regras a serem seguidas.

“O pior da nossa curva (surgimento de novos doentes por Covid-19) ainda está por vir, o pior da curva brasileira. A situação deve se agravar nas próximas duas semanas, principalmente, porque a gente tem o reflexo dos últimos 14 dias (período de incubação)”, disse o governador do Estado, Carlos Moisés, em coletiva de imprensa na terça-feira, 7. Ele prevê que deve haver maior procura por leitos de UTI, equipamentos de ventilação e tratamentos especializados – inclusive com maior número de óbitos.

A Portaria da Saúde cita que “as máscaras podem ser confeccionadas de Tecido Não Tecido (TNT) preferencialmente em camada tripla; ou tecido de algodão (preferencialmente 100% algodão), com mais de uma camada de tecido”. “Essa portaria é voltada justamente para a produção de máscaras de tecido, entre elas TNT, como forma de prevenção da população”, detalhou o secretário de Saúde, Helton Zeferino, ao Jornal do Comércio. O documento trata apenas de máscaras usadas pela população em geral e não se aplica aos profissionais da saúde ou pacientes com Covid-19, que utilizam máscaras do tipo N95 e cirúrgicas, respectivamente.

Elas são de uso pessoal e não podem ser compartilhadas. A máscara doméstica deve ser utilizada por um período curto (inferior a 2 horas) e caso fique úmida a mesma deve ser substituída. “Nós temos alguns estudos quanto ao uso dessas máscaras, ainda muito incipientes quanto a essas máscaras de tecido. Mas, é fato que sempre que eu tenho uma barreira física entre a nossa cavidade oral e nasal de tal sorte que impeça as minhas partículas de serem expelidas a outras pessoas, naturalmente nós temos a possibilidade de diminuir o contágio”, explicou Helton.

Marilete Denicol, de Navegantes, vem produzindo máscaras de tecido 100% algodão. Além de distribuir para família, ela comercializa a preço acessível para os moradores próximos à sua residência. “Sabemos que prevenção é a palavra chave neste momento, então acredito que todo ato é válido para zelar pela saúde pessoal e do nosso semelhante”, opinou.

O documento também traz questões sobre o uso e sua higienização. “Na portaria foi colocado como as pessoas devem ter o cuidado com essas máscaras. Um cuidado desde que a gente coloca a máscara no rosto ao momento em que vamos retirar. Ela não pode ficar em superfícies, pois assim pode acontecer o contágio”, completa o secretário de Saúde. Para limpeza, a máscara deverá ser imersa em solução de hipoclorito de sódio 0,1% (50 ml de água sanitária a 2 a 2,5% para cada litro de água) por 15 minutos e depois proceder com o enxágue em água limpa, colocando a mesma em seguida para secar.

O Governo de Santa Catarina recomenda o uso de máscaras de tecido por parte de todos os catarinenses que precisam sair de casa, de modo a diminuir a possibilidade de propagação do coronavírus. “É importante utilizar, e também uma questão de respeito às outras pessoas. A máscara é uma barreira que ajuda a evitar a proliferação do vírus”, afirmou o governador. Ele defende que o isolamento ainda é a principal medida para evitar o contágio.

Confira quais devem ser os cuidados com as máscaras:

– Deve-se colocá-la com a mão previamente higienizada de modo a cobrir a boca e o nariz, de modo que a mesma fique bem ajustada a face;

– Após a colocação da máscara deve ser evitado o contato com a face como um todo;

– Caso precise ajustá-la durante o uso, faça-o pelas laterais e com a mão higienizada;

– Para retirar higienize as mãos previamente e não toque na parte da frente da máscara. Retire-a pelas laterais de forma a evitar qualquer contato da face e mãos com a parte externa da máscara com o rosto;

– Caso não seja possível proceder com a desinfecção imediata da mesma, colocar em um saco plástico ou de papel, bem fechado, e só abrir quando puder proceder com a desinfecção;

– Não deixar a máscara sobre mesas ou balcões, pois isso facilita a contaminação do ambiente;

– A máscara deverá ser submersa em uma solução de um litro de água para cada 50 ml de água sanitária por 15 minutos, após fazer o enxágue em água limpa, colocando a mesma em seguida para secar;

– A máscara doméstica deve ser utilizada por um período inferior a duas horas, caso fique úmida a mesma deve ser substituída.

Foto por: FREEPIK.COM

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você