30 C
Piçarras
domingo 3 de março de 2024


Tamar prossegue com estudos na Praia do Cascalho

Ouça a Matéria

Pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação das Tartarugas Marinhas (Tamar) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), da base de Florianópolis, retomam esse mês os estudos de levantamento populacional de tartarugas-verdes (Chelonia mydas) na praia do Cascalho, em Penha. O minucioso trabalho prosseguirá pelo restante do ano e poderá resultar na criação de uma reserva ambiental da espécie na cidade.

RELEMBRE: Projeto Tamar vem estudar tartarugas-verdes da Praia do Cascalho

“Mas é preciso ter muito cuidado. É preciso que o inventário seja muito bem elaborado. É preciso ter certeza de que essas tartarugas realmente habitam a Praia do Cascalho, ou se não estão apenas de passagem”, afirmou o analista ambiental Eron Paes e Lima, da Base do Centro Tamar/ICMBio. Iniciado em julho do ano passado, apenas duas saídas foram realizadas pelas equipes, que capturaram tartarugas para identificação, coleta de sangue e também de tecido. 

“Somente após um ano é que teremos algo de concreto para informar”, reforçou o analista. Isso porque, o mesmo trabalho é realizado em praias da região, como Bombinhas e na Laje do Jacques, em Balneário Piçarras. O estudo paralelo vai revelar se as tartarugas-verdes encontradas nessa região acabam migrando de praia. “É preciso que elas sejam da praia, não turistas”, reforçou Eron, detalhando apenas um dos critérios para uma possível criação da reserva na Praia do Cascalho – fato que poderá acontecer também nas outras praias.

De acordo com o professor da Universidade do Vale do Itajaí, participante do trabalho, Gilberto Manzoni, a região do Cascalho tem tido um visível aumento da espécie. “Esse crescimento pode ser atribuído ao trabalho de preservação do Projeto Tamar, no Sul do Estado”, acredita Gilberto. Contudo, a maior presença humana nos oceanos também pode ter ajudado na visualização e divulgação da real biodiversidade do Cascalho. A presença humana também está sendo analisada pelos pesquisadores.

Pouco se sabe sobre as tartarugas-verdes da Praia do Cascalho. A intenção é justamente precisar o número e seus hábitos. Todas as informações obtidas farão parte de um projeto científico para transformar a região num parque e mantê-lo preservado. “Essa notícia, mais uma vez, reforça a necessidade de criação do Parque Natural Municipal Ponta da Vigia”, enalteceu Gilberto. A Univali já concluiu a pesquisa do estudo prévio para implantação da unidade, mas aguarda a Prefeitura sacramentar a criação.

Foto por: Smart Films

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você