24 C
Piçarras
quarta-feira 17 de abril de 2024


Bananicultura: a força agrícola de Luiz Alves

Em 2022, Luiz Alves produziu 115.684.705 mil toneladas de banana Caturra e Prata – a Nanica em maior escala; o município é o segundo maior produtor da fruta no estado

Ouça a Matéria

Com uma produção anual na casa das 115 mil toneladas, a produção de banana é a principal cultura agrícola de Luiz Alves – nada menos, um dos grandes motivos de orgulho da comunidade luizalvense. Inclusa nos festejos da Fenaca 2023, a Festa da Banana, agora em sua 29ª edição, tem por objetivo central justamente mostrar ao Brasil a qualidade de seu produto cultivado por cerca de 430 produtores em aproximadamente 4.200 hectares.

“Com certeza é motivo de orgulho, pois temos destaque em ser o município que produza a fruta com mais qualidade, e no decorrer destas décadas vem se destacando em ser pioneiro em algumas coisas como: a primeira associação a ser fundado no Estado, a primeira pista de decolagens e pousos agrícola asfaltada no Estado e o primeiro município a implantar o sistema de monitoramento de doenças”, enaltece o presidente da Associação de Bananicultores de Luiz Alves (ABLA), Bertolino Vilvert.

Dados da ABLA revelam que 70% da economia agrícola de Luiz Alves é formada pela bananicultura, gerando 1.050 empregos diretos e 260 indiretos. “Economicamente e socialmente sabemos que a bananicultura vem contribuindo positivamente com o crescimento do município”, reforça o presidente da entidade. Precisamente, em 2022, Luiz Alves produziu 115.684.705 mil toneladas de banana Caturra e Prata – a Caturra em maior escala. Mas, a cidade tem potencial para 130 mil toneladas ao ano.

LEIA TAMBÉM: “Somos uma cidade pequena com grandes sonhos”

Para a técnica agrícola e responsável técnica da ABLA, Vanessa Maria Corrêa Pacheco, “alguns fatores que influenciam no crescimento da bananicultura do município, como estrutura fundiária com média de 25 hectares por propriedade, uso da mão de obra familiar que confere responsabilidade com a qualidade da produção, clima favorável para o bom desenvolvimento da cultura, organização dos produtores através da associação que congrega e organiza as ações principalmente em tecnologia de produção”.

“Economicamente e socialmente sabemos que a bananicultura vem contribuindo positivamente com o crescimento do município”

Do montante produzido em Luiz Alves, 36% foram exportadas para o Uruguai (20%) e Argentina (16%). O restante foi comercializado junto ao Rio Grande do Sul (22%), São Paulo (20%), Paraná (15%), Santa Catarina (4%), Rio de Janeiro (2%) e Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Espírito Santo e Goiás. Luiz Alves é, neste momento, a segunda maior produtora de banana do estado e a principal exportadora nacional do produto para o Mercosul.  A produção catarinense coloca o estado com a quarta potência nacional na produção de banana, atrás de São Paulo, Bahia e Minas Gerais.

BANANA DE LUIZ ALVES

ABLA, Governo Municipal e Sebrae também tratam do pedido de Indicação Geográfica (IG) da banana. Ou seja, se concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), eles poderão comercializar como o rótulo de Banana de Luiz Alves. Para Bertolino, “além do reconhecimento oficial pela qualidade da fruta que produz, e por ser um município com alta tecnologia. A reserva de mercado”.

ABLA: A FORÇA DO BANANICULTOR

Neste momento com 361 associados, a ABLA é hoje uma das principais associações de fomento da bananicultura no estado. Para a técnica agrícola, Vanessa, três questões são essenciais para que o bananicultor esteja junto da ABLA. “Resumidamente temos três linhas de atuação para os associados que é: organização dos produtores, transferência de tecnologia e prestação de serviços com assistência técnica e experimentos”, aponta ela.

A ABLA originou-se por volta de 1986, sendo fundada oficialmente somente em 6 de junho de 1989 com o objetivo de divulgar que o município era produtor de banana para garantir a comercialização e ampliar a transferência de tecnologia de produção para os produtores. Posteriormente, questões como a qualidade do produto e melhora na vida do agricultor entraram nas pautas da Associação. Em 1978 iniciou-se os primeiros plantios de banana no município.

A fundação da ABLA ocorreu com o apoio da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri). “Desde então, ela sempre tem sio parceira da ABLA, seja nas atividades a campo, experimentos e organização das festas”, encerra Vanessa.

1 COMENTÁRIO

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback
“Somos uma cidade pequena com grandes sonhos”
9 meses atrás

[…] LEIA TAMBÉM: Bananicultura: a força agrícola de Luiz Alves […]

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você