18.1 C
Piçarras
segunda-feira 27 de maio de 2024


Luiz Alves confirma primeiro caso da Febre de Oropouche

Ouça a Matéria

A Secretaria de Saúde de Luiz Alves recebeu no final da tarde desta sexta-feira, 3, a confirmação do primeiro caso de Febre de Oropouche no município – doença que é causada pelo maruim. O resultado positivo foi dado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN), que vem analisando amostras de pacientes luizalvenses.

A reportagem busca informações sobre a idade do paciente e o bairro onde reside. A matéria será atualizada.

Com a confirmação do primeiro caso em Luiz Alves, “novas medidas devem ser tomadas nos próximos dias. Seguimos monitorando a situação e acompanhando os casos”, citou nota oficial do Governo, que vinha atuando com mais vigor nas averiguações após os três casos da doença confirmados na cidade de Botuverá.

LEIA
Luiz Alves inicia testes com “Controlador Biológico do Maruim”

Já na segunda-feira, 29, houve uma reunião com médicos e enfermeiros das unidades de saúde e do hospital. Na ocasião, foi apresentada mais informações sobre a doença para montar protocolos de como proceder ao receber pacientes que possuam os sintomas, que também são muito parecidos com os da dengue.

Os sintomas da Febre Oropouche são dor de cabeça, dor muscular, dor nas articulações, náusea e diarreia. Não existe tratamento específico. Os pacientes devem permanecer em repouso, com tratamento sintomático e acompanhamento da rede municipal de saúde – que deve ser procurada com o surgimento dos sintomas.

Conforme o Ministério da Saúde, a Febre do Oropouche (FO) é uma doença causada por um arbovírus e a transmissão é feita principalmente por mosquitos, sendo o principal o Culicoides paraensis, conhecido como maruim ou mosquito-pólvora, embora outros vetores tenham sido envolvidos na transmissão.

A Prefeitura de Luiz Alves iniciou, dia 18, uma etapa de testes de validação da aplicação do produto “Controlador Biológico do Maruim” com aplicação através meio de drones. A cidade, que se encontra em situação de emergência diante da infestação do inseto, vem aplicando o produto em regiões controladas como forma da avaliar a eficácia do produto.

Confira também
as seguintes matérias recomendads para você